Itaituba PA - 26.11.2014 - Ativistas do Greenpeace e índios Mundukuru usam pedras para formar a frase "Tapajós Livre" nas areias de uma praia às margens do rio de mesmo nome, próximo ao município de Itaituba, no Pará. O protesto, que contou com a participação de cerca de 60 Munduruku, ocorreu na região onde o governo pretende construir a primeira de uma série de cinco hidrelétricas na bacia do Tapajós. “O Brasil insiste em seu plano de barrar os grandes rios da Amazônia, ignorando os…

Itaituba PA - 26.11.2014 - Ativistas do Greenpeace e índios Mundukuru usam pedras para formar a frase "Tapajós Livre" nas areias de uma praia às margens do rio de mesmo nome, próximo ao município de Itaituba, no Pará. O protesto, que contou com a participação de cerca de 60 Munduruku, ocorreu na região onde o governo pretende construir a primeira de uma série de cinco hidrelétricas na bacia do Tapajós. “O Brasil insiste em seu plano de barrar os grandes rios da Amazônia, ignorando os…

No Tapajós, complexo de hidrelétricas ameaça indígenas e ribeirinhos » Repórter Brasil

No Tapajós, complexo de hidrelétricas ameaça indígenas e ribeirinhos » Repórter Brasil

Maira Leusa Munduruku foi chamada para fazer um depoimento. Ela falou sobre as usinas hidrelétricas previstas para o Rio Tapajós (PA). "Estamos aqui para mostrar que somos os defensores, os guardiães de nossa terra, que o governo engana nosso povo, viola nosso direito com sete barragens previstas para o Tapajós", disse. "A barragem vai acabar com nossas terras. O governo não quer mais demarcar Terras Indígenas. Viemos aqui mostrar o que estamos sofrendo".

Maira Leusa Munduruku foi chamada para fazer um depoimento. Ela falou sobre as usinas hidrelétricas previstas para o Rio Tapajós (PA). "Estamos aqui para mostrar que somos os defensores, os guardiães de nossa terra, que o governo engana nosso povo, viola nosso direito com sete barragens previstas para o Tapajós", disse. "A barragem vai acabar com nossas terras. O governo não quer mais demarcar Terras Indígenas. Viemos aqui mostrar o que estamos sofrendo".

A luta dos Munduruku contra as hidrelétricas no rio Tapajós. Vista da aldeia Waro Apompu, na Terra Indígena Munduruku, nos limites do município de Jacareacanga, no Pará.  Fotografia: Fábio Nascimento/Greenpeace.

A luta dos índios mundurucus contra as hidrelétricas no rio Tapajós

A luta dos Munduruku contra as hidrelétricas no rio Tapajós. Vista da aldeia Waro Apompu, na Terra Indígena Munduruku, nos limites do município de Jacareacanga, no Pará. Fotografia: Fábio Nascimento/Greenpeace.

Águas de Pontal: Uma tragédia para a biodiversidade.

Águas de Pontal: Uma tragédia para a biodiversidade.

Indians protest against hydroelectric dam of Sao Luis do Tapajós - Cerca de 150 indígenas do povo Munduruku saíram em passeata da aldeia Sai Cinza, onde estavam reunidos, até as ruas da cidade de Jacareacanga (PA), para protestar nesta sexta-feira (26) contra a construção da barragem no rio Tapajós, que faz parte da obra da usina hidrelétrica de São Luís do Tapajós. Segundo os índios, a barragem afetaria diretamente seu território e modo de vida

Índios protestam contra barragem da hidrelétrica de São Luís do Tapajós

Indians protest against hydroelectric dam of Sao Luis do Tapajós - Cerca de 150 indígenas do povo Munduruku saíram em passeata da aldeia Sai Cinza, onde estavam reunidos, até as ruas da cidade de Jacareacanga (PA), para protestar nesta sexta-feira (26) contra a construção da barragem no rio Tapajós, que faz parte da obra da usina hidrelétrica de São Luís do Tapajós. Segundo os índios, a barragem afetaria diretamente seu território e modo de vida

Alter do chão | Não é à toa que essa praia localizada às margens do tio Tapajós, no oeste do Pará, é conhecida como o ‘Caribe Amazônico’. Formada por areias brancas, águas cristalinas e cercada pela floresta, ela aparece no verão amazônico, de julho a janeiro, quando chove menos na região.

5 destinos brasileiros que não estão em qualquer guia turístico

Alter do chão | Não é à toa que essa praia localizada às margens do tio Tapajós, no oeste do Pará, é conhecida como o ‘Caribe Amazônico’. Formada por areias brancas, águas cristalinas e cercada pela floresta, ela aparece no verão amazônico, de julho a janeiro, quando chove menos na região.

Mensagem do Munduruku

Mensagem do Munduruku

A young Munduruku in the community of Waroapompu in the Tapajós region of Brazil. © Maira Irigaray.

A young Munduruku in the community of Waroapompu in the Tapajós region of Brazil. © Maira Irigaray.

tribo munduruku - Pesquisa Google

tribo munduruku - Pesquisa Google

Pinterest
Pesquisar