O que nos esconde o fundo do mar | Green Savers

O que nos esconde o fundo do mar | Green Savers

carro de bois | Carro de Boi", de Rui de Paula

Dia a dia do campo dá saudade nas telas de artista mineiro

carro de bois | Carro de Boi", de Rui de Paula

molde boi

molde boi

Não aguento

Não aguento

Na cozinha do Boi-Cavalo, em Lisboa, a dupla criativa Hugo Brito e Pedro Duarte une lingueirão, açorda e massa de gyoza num casamento (a três) perfeito e improvável. Siga todos os passos da criação.

Lingueirão bebé, gyozas de açorda e Bulhão Pato

Na cozinha do Boi-Cavalo, em Lisboa, a dupla criativa Hugo Brito e Pedro Duarte une lingueirão, açorda e massa de gyoza num casamento (a três) perfeito e improvável. Siga todos os passos da criação.

J-Hope

J-Hope

920764_509479339234798_9024969688013427551_o.jpg (1071×1500)

920764_509479339234798_9024969688013427551_o.jpg (1071×1500)

de Liberatore; Ribeirão Preto; Arte; Oficina de Arte; Escultura; Resina; Country; Rural; Campo; Decoração; Touro; Boi; Cavalo

de Liberatore; Ribeirão Preto; Arte; Oficina de Arte; Escultura; Resina; Country; Rural; Campo; Decoração; Touro; Boi; Cavalo

Todos os anos, entre julho e outubro, o espetáculo repete-se. Falamos da grande migração dos gnus, os mamíferos também conhecidos como boi-cavalo...

Todos os anos, entre julho e outubro, o espetáculo repete-se. Falamos da grande migração dos gnus, os mamíferos também conhecidos como boi-cavalo...

Em nossa última passagem pela Terra fomos filhos da terra, aqueles que dela viveram, dela extraímos a raiz de cada dia, o alimento da família e a esperança. Montado no lombo de um cavalo ou boi pastávamos não os animais, mas ao som do berrante era possível berrar ao Pai Criador que olhasse por nós. Eu fui peão, cuidei de muitas fazendas e deixei muitos fazendeiros ricos. Estranhamente não respingava no meu bolso a pataca que no deles enchia. Tampouco me queixava disso; afinal, não saberia…

Em nossa última passagem pela Terra fomos filhos da terra, aqueles que dela viveram, dela extraímos a raiz de cada dia, o alimento da família e a esperança. Montado no lombo de um cavalo ou boi pastávamos não os animais, mas ao som do berrante era possível berrar ao Pai Criador que olhasse por nós. Eu fui peão, cuidei de muitas fazendas e deixei muitos fazendeiros ricos. Estranhamente não respingava no meu bolso a pataca que no deles enchia. Tampouco me queixava disso; afinal, não saberia…

Pinterest
Pesquisar