Há séculos que não fazia essa. Eu tinha na fruteira de casa umas bananas dando mole e revivi nessa receita, tudo em camadas, fácil demais! Comecei pelas misturas. Separe em duas tigelas. Mistura d…

Há séculos que não fazia essa. Eu tinha na fruteira de casa umas bananas dando mole e revivi nessa receita, tudo em camadas, fácil demais! Comecei pelas misturas. Separe em duas tigelas. Mistura d…

Brasil... Tiradentes: Cidade histórica no estado de Minas Gerais,Tiradentes tornou-se um dos centros históricos da arte barroca mais bem preservados do Brasil. Na metade do século XX, foi proclamada patrimônio histórico nacional tendo suas casas, lampiõ

Brasil... Tiradentes: Cidade histórica no estado de Minas Gerais,Tiradentes tornou-se um dos centros históricos da arte barroca mais bem preservados do Brasil. Na metade do século XX, foi proclamada patrimônio histórico nacional tendo suas casas, lampiõ

Rua do Riachuelo, Lapa (primeira metade do século xx)

Rua do Riachuelo, Lapa (primeira metade do século xx)

A Casa Bandeirista do Butantã, em São Paulo-SP é uma construção remanescente baseada na técnica construtiva da taipa. Foi construída por volta da primeira metade do século XVIII em taipa de pilão, principal técnica construtiva da arquitetura colonial brasileira, e utilizada na arquitetura paulista durante os séculos XVII e XIX.

A Casa Bandeirista do Butantã, em São Paulo-SP é uma construção remanescente baseada na técnica construtiva da taipa. Foi construída por volta da primeira metade do século XVIII em taipa de pilão, principal técnica construtiva da arquitetura colonial brasileira, e utilizada na arquitetura paulista durante os séculos XVII e XIX.

Painel de azulejos da primeira metade do século XVII, de padrão policromo, azul e amarelo, pertencente à igreja de Nossa Senhora da Boa Fé, nos arredores de Évora. Módulo de quatro por quatro azulejos, com fundo amarelo e quadrifólio azul e branco que inscreve entrelaçado de motivos fitomórficos apanhados por braçadeiras. Os interstícios são preenchidos por rosetas de folhas de acanto que rematam em flor-de-lis. Cantoneiras azuis e brancas com motivos vegetalistas estilizados. No topo…

Painel de azulejos da primeira metade do século XVII, de padrão policromo, azul e amarelo, pertencente à igreja de Nossa Senhora da Boa Fé, nos arredores de Évora. Módulo de quatro por quatro azulejos, com fundo amarelo e quadrifólio azul e branco que inscreve entrelaçado de motivos fitomórficos apanhados por braçadeiras. Os interstícios são preenchidos por rosetas de folhas de acanto que rematam em flor-de-lis. Cantoneiras azuis e brancas com motivos vegetalistas estilizados. No topo…

Area de Lazer

Area de Lazer

A primeira metade do século XX ficou marcada pela ascensão de regimes ditatoriais em alguns países da Europa.  A destruição e a morte prov...

A primeira metade do século XX ficou marcada pela ascensão de regimes ditatoriais em alguns países da Europa. A destruição e a morte prov...

PORTO, DE AGOSTINHO REBELO DA COSTA AOS NOSSOS DIAS: QUINTAS DO PORTO E ARREDORES - II -  Brasão sobre o portão “O portão nobre, posteriormente intervencionado por Nasoni, e a primitiva casa dos Noronha e Menezes devem respeitar à segunda metade do século XVII.”

PORTO, DE AGOSTINHO REBELO DA COSTA AOS NOSSOS DIAS: QUINTAS DO PORTO E ARREDORES - II - Brasão sobre o portão “O portão nobre, posteriormente intervencionado por Nasoni, e a primitiva casa dos Noronha e Menezes devem respeitar à segunda metade do século XVII.”

A cidade de São Paulo foi tema para diversos fotógrafos na virada do século XIX e na primeira metade do século XX. . Sem exageros, um dos precursores desta documentação foi o fotógrafo carioca Militão Augusto de Azevedo (1837-1905), pioneiro e referência para as gerações seguintes.

A cidade de São Paulo foi tema para diversos fotógrafos na virada do século XIX e na primeira metade do século XX. . Sem exageros, um dos precursores desta documentação foi o fotógrafo carioca Militão Augusto de Azevedo (1837-1905), pioneiro e referência para as gerações seguintes.

PEGADA MASCULINA O arquiteto e restaurador Luciano Cavalcanti de Albuquerque, de 58 anos, não é um homem antigo. Sua casa, no Rio de Janeiro, é da metade do século 18 e abrigou um bordel nos anos 1980. Há 15 anos ele restaura, vive e trabalha na construção histórica.

PEGADA MASCULINA O arquiteto e restaurador Luciano Cavalcanti de Albuquerque, de 58 anos, não é um homem antigo. Sua casa, no Rio de Janeiro, é da metade do século 18 e abrigou um bordel nos anos 1980. Há 15 anos ele restaura, vive e trabalha na construção histórica.

Pinterest • O catálogo de ideias do mundo todo
Pesquisar