Astrônomos demonstraram pela primeira vez que uma estrela magnética – um tipo incomum de estrela de nêutrons, também conhecida como magnetar – se formou a partir de uma estrela com pelo menos 40 vezes a massa do Sol.    O resultado desafia as atuais teorias da evolução estelar, uma vez que, segundo estas teorias, uma estrela com massa dessa magnitude deveria transformar-se em um buraco negro, e não em uma estrela magnética.

Astrônomos demonstraram pela primeira vez que uma estrela magnética – um tipo incomum de estrela de nêutrons, também conhecida como magnetar – se formou a partir de uma estrela com pelo menos 40 vezes a massa do Sol. O resultado desafia as atuais teorias da evolução estelar, uma vez que, segundo estas teorias, uma estrela com massa dessa magnitude deveria transformar-se em um buraco negro, e não em uma estrela magnética.

Hipernovas: O Que Aconteceria se Um Pedaço de 1 Metro Cúbico de Uma Estrela de Nêutrons se Chocasse Com a Terra? [Artigo]

Hipernovas: O Que Aconteceria se Um Pedaço de 1 Metro Cúbico de Uma Estrela de Nêutrons se Chocasse Com a Terra? [Artigo]

Na direção da constelação de Escorpião foi descoberta a estrela J1614-2230 e é a maior estrela de nêutrons descoberta até o momento e localiza-se a 3.000 anos-luz de distância da Terra a diferença de peso entre ela e a estrela de nêutrons chamada J1903+0327 é de meia massa solar. Considerando-se de que uma pequena quantidade de material da estrela equivalente a 1 cubo de açúcar pesa o mesmo peso equivalente ao monte Everest (1 bilhão de toneladas). )

Na direção da constelação de Escorpião foi descoberta a estrela J1614-2230 e é a maior estrela de nêutrons descoberta até o momento e localiza-se a 3.000 anos-luz de distância da Terra a diferença de peso entre ela e a estrela de nêutrons chamada J1903+0327 é de meia massa solar. Considerando-se de que uma pequena quantidade de material da estrela equivalente a 1 cubo de açúcar pesa o mesmo peso equivalente ao monte Everest (1 bilhão de toneladas). )

Em agosto de 1999, a NASA lançou uma imagem de Cassiopeia A, um remanescente de supernova revelado em nunca antes visto detalhe de raio-X.    A imagem "Cas A", como passou a ser conhecido, mostra a estrutura notável nos escombros de uma explosão estelar gigante, bem como uma fonte enigmática no centro, o que poderia ser uma estrela de nêutrons que gira rapidamente ou um buraco negro.   #CMistériosBlog #ACPlanetas

Em agosto de 1999, a NASA lançou uma imagem de Cassiopeia A, um remanescente de supernova revelado em nunca antes visto detalhe de raio-X. A imagem "Cas A", como passou a ser conhecido, mostra a estrutura notável nos escombros de uma explosão estelar gigante, bem como uma fonte enigmática no centro, o que poderia ser uma estrela de nêutrons que gira rapidamente ou um buraco negro. #CMistériosBlog #ACPlanetas

Observações feitas por satélite de raios-X revelam estrela de nêutrons com campo magnético em forma de rosquinha e oscilação axial | Universo Racionalista

Observações feitas por satélite de raios-X revelam estrela de nêutrons com campo magnético em forma de rosquinha e oscilação axial | Universo Racionalista

Nuncius Australis: Estrelas de Nêutrons, A Nebulosa do Caranguejo e o...

Nuncius Australis: Estrelas de Nêutrons, A Nebulosa do Caranguejo e o...

Pulsar Vela, uma estrela de nêutrons muito pequena e densa, em alta rotação expele partículas em imagem do Observatório Chandra de raio X, da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana). O vídeo faz parte de um estudo para desvendar mistérios de uma das matérias mais densas do Universo. A pulsar Vela foi formada quando uma estrela massiva colapsou e está a 1.000 anos-luz da Terra. Ela tem cerca de 19 quilômetros de diâmetro, faz 11 rotações completas cada segundo e lança partículas carregadas a…

Pulsar Vela, uma estrela de nêutrons muito pequena e densa, em alta rotação expele partículas em imagem do Observatório Chandra de raio X, da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana). O vídeo faz parte de um estudo para desvendar mistérios de uma das matérias mais densas do Universo. A pulsar Vela foi formada quando uma estrela massiva colapsou e está a 1.000 anos-luz da Terra. Ela tem cerca de 19 quilômetros de diâmetro, faz 11 rotações completas cada segundo e lança partículas carregadas a…

Conheça o Objeto de Thorne-Zytkow, a bizarra estrela que abriga outra de nêutrons

Conheça o Objeto de Thorne-Zytkow, a bizarra estrela que abriga outra de nêutrons

Neutron-Star1

Neutron-Star1

NEBULOSA DO CARANGUEJO - M1 Esta nebulosa é o remanescente de uma explosão de supernova, observada a quase 1.000 anos atrás, no ano de 1054. Ela contém uma estrela de nêutrons perto de seu centro que gira 30 vezes por segundo em torno de seu eixo.

NEBULOSA DO CARANGUEJO - M1 Esta nebulosa é o remanescente de uma explosão de supernova, observada a quase 1.000 anos atrás, no ano de 1054. Ela contém uma estrela de nêutrons perto de seu centro que gira 30 vezes por segundo em torno de seu eixo.

Supernova é o nome dado para a fase de explosão da uma estrela com mais de 8 massas solares próxima à sua fase final, resultando posteriormente em uma estrela de nêutrons ou em casos de estrelas ainda mais massivas, um buraco negro. Uma delas foi formada pela Supernova denominada N 63A, está localizada na Grande Nuvem de Magalhães uma galáxia satélite da Via Láctea. Estima-se que a progenitora da supernova que produziu o remanescente visto aqui foi de cerca de 50 vezes mais massivo que o…

Supernova é o nome dado para a fase de explosão da uma estrela com mais de 8 massas solares próxima à sua fase final, resultando posteriormente em uma estrela de nêutrons ou em casos de estrelas ainda mais massivas, um buraco negro. Uma delas foi formada pela Supernova denominada N 63A, está localizada na Grande Nuvem de Magalhães uma galáxia satélite da Via Láctea. Estima-se que a progenitora da supernova que produziu o remanescente visto aqui foi de cerca de 50 vezes mais massivo que o…

hand-in-space-sign-of-imam-mahdi. Um dos mais belos exemplos de pareidolia do espaço profundo é a imagem tirada do pulsar PSR B1509-58. A imagem de 150 anos-luz mostra também uma grande nebulosa. A rotação rápida da estrela de nêutrons, ou pulsar, é de apenas 12 milhas através da nebulosa, com o poder suficiente para torcer e esculpir o espaço ao redor desta em uma bela mão como podemos ver na foto. Esta mão parece estar quase chegando a tocar o próprio espaço.

hand-in-space-sign-of-imam-mahdi. Um dos mais belos exemplos de pareidolia do espaço profundo é a imagem tirada do pulsar PSR B1509-58. A imagem de 150 anos-luz mostra também uma grande nebulosa. A rotação rápida da estrela de nêutrons, ou pulsar, é de apenas 12 milhas através da nebulosa, com o poder suficiente para torcer e esculpir o espaço ao redor desta em uma bela mão como podemos ver na foto. Esta mão parece estar quase chegando a tocar o próprio espaço.

Um dos Últimos Crop Circles em Wiltshire, Reino Unido representa uma estrela de nêutrons?

Um dos Últimos Crop Circles em Wiltshire, Reino Unido representa uma estrela de nêutrons?

Imagem em raio-X da região em torno da estrela de nêutros (pulsar) da Nebulosa do Caranguejo. Fonte: Chandra Raio-X Observatório (satélite). A Estrela de Nêutrons é um remanescente de super nova. Tem cerca de 20 km de diâmetro e a massa de um sol e meio (1,5 massa solar).

Imagem em raio-X da região em torno da estrela de nêutros (pulsar) da Nebulosa do Caranguejo. Fonte: Chandra Raio-X Observatório (satélite). A Estrela de Nêutrons é um remanescente de super nova. Tem cerca de 20 km de diâmetro e a massa de um sol e meio (1,5 massa solar).

Estrela de Nêutrons

Estrela de Nêutrons

Nebulosa N-49. A explosão de uma estrela supermassiva formou esta nuvem de poeira na Grande Nuvem de Magalhães. Tem 30 anos-luz de diâmetro, ao centro o que restou foi uma Estrela de Nêutrons que parece fugir entre a explosão à 8 milhões de km/h. Os dados do telescópio Chandra indicam que a nebulosa tem cerca de 5 mil anos e a energia da explosão é estimada em aproximadamente duas vezes o de uma supernova normal. Situa-se a uma distância de aproximadamente 180 mil anos-luz da Terra.

Nebulosa N-49. A explosão de uma estrela supermassiva formou esta nuvem de poeira na Grande Nuvem de Magalhães. Tem 30 anos-luz de diâmetro, ao centro o que restou foi uma Estrela de Nêutrons que parece fugir entre a explosão à 8 milhões de km/h. Os dados do telescópio Chandra indicam que a nebulosa tem cerca de 5 mil anos e a energia da explosão é estimada em aproximadamente duas vezes o de uma supernova normal. Situa-se a uma distância de aproximadamente 180 mil anos-luz da Terra.

Pinterest
Pesquisar