Lisbon - square Luís de Camões #Portugal

Lisbon - square Luís de Camões #Portugal

Luis de Camões, portuguese poet (1524-1580), author of the Epic "Os Lusíadas" - IV CENTENÁRIO DOS LUSÍADAS.

Luis de Camões, portuguese poet (1524-1580), author of the Epic "Os Lusíadas" - IV CENTENÁRIO DOS LUSÍADAS.

1924 - República Portuguesa  Camões salvando os Lusíadas do naufrágio

1924 - República Portuguesa Camões salvando os Lusíadas do naufrágio

Praça Luis de Camões , Lisboa, Portugal. A Praça Luís de Camões, nome de um imortal poeta português, é composta por uma figura em bronze no centro de uma Praça empedrada com calçada portuguesa. Com a estátua de Luís de Camões colocada ao centro, é mais que uma bela e discreta praça urbana, é também um signo imperativo de conceitos modernos de cidadania, corporizados na figura de um herói - poeta, eterno exilado que morrera pobre e só.

Praça Luis de Camões , Lisboa, Portugal. A Praça Luís de Camões, nome de um imortal poeta português, é composta por uma figura em bronze no centro de uma Praça empedrada com calçada portuguesa. Com a estátua de Luís de Camões colocada ao centro, é mais que uma bela e discreta praça urbana, é também um signo imperativo de conceitos modernos de cidadania, corporizados na figura de um herói - poeta, eterno exilado que morrera pobre e só.

This love sonnet is certainly one of my favorite poems. “Amor é fogo que arde sem se ver” (Love is a fire that burns without being seen) is not only an intriguing title for it, but also a catchphrase. This literary work immediately comes to mind when thinking about Luís de Camões, the prominent Portuguese poet of the 16th Century. Its verses and stanzas are among the most paradoxical ones I have ever read. In nearly every line, Camões contradicts himself, while trying to define “love.”

This love sonnet is certainly one of my favorite poems. “Amor é fogo que arde sem se ver” (Love is a fire that burns without being seen) is not only an intriguing title for it, but also a catchphrase. This literary work immediately comes to mind when thinking about Luís de Camões, the prominent Portuguese poet of the 16th Century. Its verses and stanzas are among the most paradoxical ones I have ever read. In nearly every line, Camões contradicts himself, while trying to define “love.”

Com estrutura da Festa do Pinhão sendo montada, Luis de Camões tem mudança no tráfego

Com estrutura da Festa do Pinhão sendo montada, Luis de Camões tem mudança no tráfego

AS OBRAS DE CAMÕES : BABEL DE SIÃO - Por Luis de Camões

AS OBRAS DE CAMÕES : BABEL DE SIÃO - Por Luis de Camões

O amor é....

O amor é....

Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer.  Autor: Luis de Camoes - Amor é

Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer. Autor: Luis de Camoes - Amor é

File:Luís de Camões por François Gérard.jpg

File:Luís de Camões por François Gérard.jpg

Pinterest
Pesquisar