A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff apresentou na noite de segunda-feira 13 ao ministro Herman Benjamin, relator no Tribunal Superior Eleitoral do processo que julga a cassação da chapa Dilma/Temer, pedidos de mais de uma dezena de testemunhas, entre elas do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, do advogado José Yunes, ex-assessor especial e melhor amigo de Michel Temer, e dos presidentes dos nove partidos que integraram a coligação liderada por Dilma na campanha de 2014; ela ped...

A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff apresentou na noite de segunda-feira 13 ao ministro Herman Benjamin, relator no Tribunal Superior Eleitoral do processo que julga a cassação da chapa Dilma/Temer, pedidos de mais de uma dezena de testemunhas, entre elas do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, do advogado José Yunes, ex-assessor especial e melhor amigo de Michel Temer, e dos presidentes dos nove partidos que integraram a coligação liderada por Dilma na campanha de 2014; ela ped...

Um dia após o presidente Michel Temer anunciar um importante recuo em sua proposta de reforma da Previdência, líderes dos principais partidos governistas na Câmara afirmaram nesta quarta-feira (22) à Folha que haverá mais mudanças, entre elas a flexibilização ou retirada das regras que endurecem a obtenção da aposentadoria pelos trabalhadores rurais.

Um dia após o presidente Michel Temer anunciar um importante recuo em sua proposta de reforma da Previdência, líderes dos principais partidos governistas na Câmara afirmaram nesta quarta-feira (22) à Folha que haverá mais mudanças, entre elas a flexibilização ou retirada das regras que endurecem a obtenção da aposentadoria pelos trabalhadores rurais.

Em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandrino Alencar, ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht, afirmou que operacionalizou a entrega em espécie de R$ 21 milhões de caixa dois para três partidos aliados da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer em 2014.

Em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandrino Alencar, ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht, afirmou que operacionalizou a entrega em espécie de R$ 21 milhões de caixa dois para três partidos aliados da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer em 2014.

Após baque do Impeachment esquerda pena para voltar às ruas

Após baque do Impeachment esquerda pena para voltar às ruas

BLOG Processo de impeachment contra Temer acabará sendo o maior tiro no pé da Dilma e do PT O principal: derruba o “argumento” de que seria golpe.  Michel Temer - Dilma Rousseff  A militância – que, se pensasse de verdade, não seria militante – chegou mesmo a comemorar a decisão de Marco Aurelio de Mello, do STF, de determinar abertura do procedimento de impeachment contra Michel Temer.  O primeiro a aventar isso de forma pública, aliás, foi Cid Gomes, ex-ministro e aliado de Dilma.  Ag

BLOG Processo de impeachment contra Temer acabará sendo o maior tiro no pé da Dilma e do PT O principal: derruba o “argumento” de que seria golpe. Michel Temer - Dilma Rousseff A militância – que, se pensasse de verdade, não seria militante – chegou mesmo a comemorar a decisão de Marco Aurelio de Mello, do STF, de determinar abertura do procedimento de impeachment contra Michel Temer. O primeiro a aventar isso de forma pública, aliás, foi Cid Gomes, ex-ministro e aliado de Dilma. Ag

| 10.02.2017 | O ministro da Justiça licenciado, Alexandre de Moraes, confirmou ter participado de um encontro informal com senadores fora das dependências da Casa.  Indicado para o STF (Supremo Tribunal Federal) pelo governo Michel Temer, Moraes disse ter sido convidado para o encontro com nove parlamentares de cinco partidos.

| 10.02.2017 | O ministro da Justiça licenciado, Alexandre de Moraes, confirmou ter participado de um encontro informal com senadores fora das dependências da Casa. Indicado para o STF (Supremo Tribunal Federal) pelo governo Michel Temer, Moraes disse ter sido convidado para o encontro com nove parlamentares de cinco partidos.

BRASÍLIA, DF, BRASIL 02.03.2016. A presidente Dilma Rousseff e o vice-presidente Michel Temer participam da assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta entre a União, os estados de Minas Gerais e do Espírito Santo e a Samarco Mineradora S/A(FOTO Alan Marques/ Folhapress) PODER

BRASÍLIA, DF, BRASIL 02.03.2016. A presidente Dilma Rousseff e o vice-presidente Michel Temer participam da assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta entre a União, os estados de Minas Gerais e do Espírito Santo e a Samarco Mineradora S/A(FOTO Alan Marques/ Folhapress) PODER

| 19.12.2016 | Na tentativa de reverter a queda nos índices de popularidade, o presidente Michel Temer discute fazer um pronunciamento público no final deste ano em cadeia nacional de rádio e televisão. O objetivo da iniciativa é fazer um resumo dos sete meses em que esteve à frente do Palácio do Planalto e, como definiu um assessor presidencial, dar a versão do presidente sobre a sua própria administração.

| 19.12.2016 | Na tentativa de reverter a queda nos índices de popularidade, o presidente Michel Temer discute fazer um pronunciamento público no final deste ano em cadeia nacional de rádio e televisão. O objetivo da iniciativa é fazer um resumo dos sete meses em que esteve à frente do Palácio do Planalto e, como definiu um assessor presidencial, dar a versão do presidente sobre a sua própria administração.

10.05.2016 | O presidenciável do PDT, Ciro Gomes, em passagem por Aracaju, para participar da convenção estadual do seu partido, na sexta (6), disse ao 247 que acredita no “milagre da participação popular” para reverter o resultado do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; ele acusou o vice-presidente Michel Temer (PMDB) de tentar “golpear o país” e avaliou que um eventual governo do peemedebista será uma “tragédia”.

10.05.2016 | O presidenciável do PDT, Ciro Gomes, em passagem por Aracaju, para participar da convenção estadual do seu partido, na sexta (6), disse ao 247 que acredita no “milagre da participação popular” para reverter o resultado do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff; ele acusou o vice-presidente Michel Temer (PMDB) de tentar “golpear o país” e avaliou que um eventual governo do peemedebista será uma “tragédia”.

Transportes, Portos e Aviação |  Michel Temer uniu três pastas em uma só e nomeou para seu comando o deputado federal Maurício Quintella (PR-AL). Que está no seu quarto mandato na Câmara por Alagoas. Deixou a liderança do PR na Casa para votar a favor do impeachment - contrariando orientação do partido. Foi investigado e condenado em 2014 por envolvimento em um esquema de desvio de dinheiro de merenda escolar no seu Estado quando era secretário da Educação entre 2003 e 2005.

Transportes, Portos e Aviação | Michel Temer uniu três pastas em uma só e nomeou para seu comando o deputado federal Maurício Quintella (PR-AL). Que está no seu quarto mandato na Câmara por Alagoas. Deixou a liderança do PR na Casa para votar a favor do impeachment - contrariando orientação do partido. Foi investigado e condenado em 2014 por envolvimento em um esquema de desvio de dinheiro de merenda escolar no seu Estado quando era secretário da Educação entre 2003 e 2005.

Pinterest
Pesquisar