Supernova 1987A dentro da Grande Nuvem de Magalhães (Foto: NASA, ESA, STScI/AURA)

9 imagens perfeitas do Hubble que podem ser usadas como fundo de tela

Supernova 1987A dentro da Grande Nuvem de Magalhães (Foto: NASA, ESA, STScI/AURA)

Telescópio Hubble da Nasa (agência espacial americana) registra uma parte da nebulosa da Tarântula, localizada na Grande Nuvem de Magalhães, que é uma pequena galáxia próxima da Via Láctea. Segundo a Nasa, ela é vista no céu como uma mancha desfocada.  Fotografia: Hubble/Nasa/ESA/Reuters.

Telescópio Hubble da Nasa (agência espacial americana) registra uma parte da nebulosa da Tarântula, localizada na Grande Nuvem de Magalhães, que é uma pequena galáxia próxima da Via Láctea. Segundo a Nasa, ela é vista no céu como uma mancha desfocada. Fotografia: Hubble/Nasa/ESA/Reuters.

Nuvem de Magalhães  Explosão de uma estrela em uma galáxia próxima à Via Láctea deixa rastros.

Nuvem de Magalhães Explosão de uma estrela em uma galáxia próxima à Via Láctea deixa rastros.

Os cientistas conseguiram, pela primeira vez, detectar o campo magnético da chamada Ponte de Magalhães, uma ligação feita de gás neutro e estrelas que une a Pequena e a Grande Nuvem de Magalhães …

Os cientistas conseguiram, pela primeira vez, detectar o campo magnético da chamada Ponte de Magalhães, uma ligação feita de gás neutro e estrelas que une a Pequena e a Grande Nuvem de Magalhães …

Essa imagem mostra a galáxia Grande Nuvem de Magalhães em luz infravermelha. A região mais brilhante no centro-esquerdo da imagem é chamada Nebulosa da Tarântula.

Astrônomos revelam suas mais belas fotos

Essa imagem mostra a galáxia Grande Nuvem de Magalhães em luz infravermelha. A região mais brilhante no centro-esquerdo da imagem é chamada Nebulosa da Tarântula.

GALÁXIA NÍTIDA - A Pequena Nuvem de Magalhães é uma galáxia que pode ser vista a olho nu no céu do Hemisfério Norte, mas nuvens de poeira interestelar a obscurecem. Com a capacidade de fotografar em infravermelho, o telescópio VISTA permite observar milhões de estrelas dessa galáxia vizinha com muito mais nitidez do que conseguido até hoje. Essa é a maior imagem infravermelha já obtida da Pequena Nuvem de Magalhães.

GALÁXIA NÍTIDA - A Pequena Nuvem de Magalhães é uma galáxia que pode ser vista a olho nu no céu do Hemisfério Norte, mas nuvens de poeira interestelar a obscurecem. Com a capacidade de fotografar em infravermelho, o telescópio VISTA permite observar milhões de estrelas dessa galáxia vizinha com muito mais nitidez do que conseguido até hoje. Essa é a maior imagem infravermelha já obtida da Pequena Nuvem de Magalhães.

Este incrível wallpaper do espaço revela 30 Doradus, que é a mais brilhante região de formação de estrelas na nossa vizinhança e a casa para as estrelas mais massivas já vistas. A nebulosa reside a 170.000 anos-luz de distância, na Grande Nuvem de Magalhães, uma pequena galáxia satélite da nossa Via Láctea. Nenhuma conhecida região de formação de estrelas na nossa galáxia é tão grande ou tão prolífica como 30 Doradus. Esta imagem foi divulgada em 17 de abril de 2012.

Este incrível wallpaper do espaço revela 30 Doradus, que é a mais brilhante região de formação de estrelas na nossa vizinhança e a casa para as estrelas mais massivas já vistas. A nebulosa reside a 170.000 anos-luz de distância, na Grande Nuvem de Magalhães, uma pequena galáxia satélite da nossa Via Láctea. Nenhuma conhecida região de formação de estrelas na nossa galáxia é tão grande ou tão prolífica como 30 Doradus. Esta imagem foi divulgada em 17 de abril de 2012.

Large Magellanic Cloud - Wikipedia

Large Magellanic Cloud - Wikipedia

Hubble observou nuvens de poeira que se chocam e formam estrelas na Grande Nuvem de Magalhães (Foto: ESA/NASA/Hubble)

Hubble detecta nuvens de gás que formam estrelas em galáxia vizinha

Hubble observou nuvens de poeira que se chocam e formam estrelas na Grande Nuvem de Magalhães (Foto: ESA/NASA/Hubble)

Quando uma estrela maciça explodiu na Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia-satélite da Via Láctea, deixou para trás esse escudo de detritos chamado SNR 0519-69,0. Aqui, o observatório de raios-X Chandra nos permite ver gás (azul). A borda exterior da explosão (vermelha) e estrelas no campo de visão são observadas em luz do telescópio Hubble. Fotografia: J. Hughes/Rutgers/CXC/Nasa.

Quando uma estrela maciça explodiu na Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia-satélite da Via Láctea, deixou para trás esse escudo de detritos chamado SNR 0519-69,0. Aqui, o observatório de raios-X Chandra nos permite ver gás (azul). A borda exterior da explosão (vermelha) e estrelas no campo de visão são observadas em luz do telescópio Hubble. Fotografia: J. Hughes/Rutgers/CXC/Nasa.

Os pontos mais brilhantes representam a Grande e a Pequena Nuvem de Magalhães (Foto: ESO/J. Colosimo)

Cientistas detectam ponte magnética gigante que liga duas galáxias

Os pontos mais brilhantes representam a Grande e a Pequena Nuvem de Magalhães (Foto: ESO/J. Colosimo)

A Pequena Nuvem de Magalhães é também conhecida como NGC 292. É uma galáxia anã irregular, em órbita da Via Láctea. Contém mais de 30 mil milhões de estrelas. A uma distância de 200,000 anos-luz, é uma das vizinhas mais próximas da nossa Galáxia. Situada na constelação do Tucano, é melhor visível no Hemisfério Sul. Forma um par com a Grande Nuvem de Magalhães Crédito: Observatório da Namíbia

A Pequena Nuvem de Magalhães é também conhecida como NGC 292. É uma galáxia anã irregular, em órbita da Via Láctea. Contém mais de 30 mil milhões de estrelas. A uma distância de 200,000 anos-luz, é uma das vizinhas mais próximas da nossa Galáxia. Situada na constelação do Tucano, é melhor visível no Hemisfério Sul. Forma um par com a Grande Nuvem de Magalhães Crédito: Observatório da Namíbia

Cometa Lemmon, um aglomerado globular e a Pequena Nuvem de Magalhães capturados em uma única fotografia.

24 fotos impressionantes da Terra e do Espaço

Cometa Lemmon, um aglomerado globular e a Pequena Nuvem de Magalhães capturados em uma única fotografia.

Na Grande Nuvem de Magalhães, a Nebulosa da Tarântula é uma das maiores áreas de formação de estrelas perto da Via Láctea

Na Grande Nuvem de Magalhães, a Nebulosa da Tarântula é uma das maiores áreas de formação de estrelas perto da Via Láctea

Large Magellanic Cloud - Wikipedia

Large Magellanic Cloud - Wikipedia

Nearly 200,000 light-years from Earth, the Large Magellanic Cloud, a satellite galaxy of the Milky Way, floats in space, in a long and slow dance around our galaxy.  Vast clouds of gas within it slowly collapse to form new stars. In turn, these light up the gas clouds in a riot of colors, visible in this image from the NASA/ESA Hubble Space Telescope.

Nearly 200,000 light-years from Earth, the Large Magellanic Cloud, a satellite galaxy of the Milky Way, floats in space, in a long and slow dance around our galaxy. Vast clouds of gas within it slowly collapse to form new stars. In turn, these light up the gas clouds in a riot of colors, visible in this image from the NASA/ESA Hubble Space Telescope.

Pinterest
Pesquisar