Isso também te trará muitos julgamentos do tipo:"essa se acha". Relaxa, melhor se achar do que viver perdida, criticando,mas imitando os outros.

repost via from Vamos ser rebeldes 🙃 🙃 e vamos juntas! In a society where people earn on our insecurity, to love yourself is an act of rebellion 🙃💕

Tudo é político quando você é uma mulher

Don't tell me to stop being political cause it's "unattractive", I find ur misogynistic views "unattractive" so maybe u should go and take a long, hard look in that mirror, an instrument used to make women feel self-conscious on a day to day basis.

Elza Soares fala sobre feminismo, o amor por Garrincha e como cantar ainda é remédio bom

Elza Soares: 'Mulher sofre muito escondidinho. Tem que botar pra foder, mesmo'

Elza Soares fala sobre feminismo, o amor por Garrincha e como cantar ainda é remédio bom

tsurubride                                                                                                                                                                                 Mais

Meghan Willis Title from “The Lily” from William Blake Pink, mint and black of embroidery floss, hand-stitched on natural/cream coloured linen. Machine-stitched leather applique, hand painted with acrylic paint.

"Me deixa gozar": as ilustrações feministas de Layse Almada | VICE | Brasil

"Me deixa gozar": as ilustrações feministas de Layse Almada

"Me deixa gozar": as ilustrações feministas de Layse Almada | VICE | Brasil

O grande problema hoje é que, apesar de estarmos finalmente começando a conversar sobre opressão de raça e gênero, essas conversas ainda são enraizadas em noções e estruturas em que o privilégio significa dominância e poder. Quando muito dos argumentos ainda são centrados na experiência do privilegiado, a dor do oprimido é silenciada e desvalorizada. Afinal, é muito menos doloroso para o opressor desconfiar e problematizar a afirmação do oprimido do que ter que lidar com ela. É muito mais…

Timidez ou racismo? Como o preconceito silencia as mulheres negras

O grande problema hoje é que, apesar de estarmos finalmente começando a conversar sobre opressão de raça e gênero, essas conversas ainda são enraizadas em noções e estruturas em que o privilégio significa dominância e poder. Quando muito dos argumentos ainda são centrados na experiência do privilegiado, a dor do oprimido é silenciada e desvalorizada. Afinal, é muito menos doloroso para o opressor desconfiar e problematizar a afirmação do oprimido do que ter que lidar com ela. É muito mais…

Pinterest
Search