Explore Primeiro Longa, Público Jovem e muito mais!

Explorar tópicos relacionados

No dia 8 de setembro, estreia o primeiro longa de ficção de Marcia Paraiso. Habituada a documentários, a diretora criou uma ficção para levar uma mensagem política, direcionada principalmente aos jovens. “A ideia do Lua em Sagitário surgiu em 2009, da vontade de fazer um filme que fugisse das temáticas usuais dos filmes para o público jovem, e que não se passasse em um grande centro urbano.

No dia 8 de setembro, estreia o primeiro longa de ficção de Marcia Paraiso. Habituada a documentários, a diretora criou uma ficção para levar uma mensagem política, direcionada principalmente aos jovens. “A ideia do Lua em Sagitário surgiu em 2009, da vontade de fazer um filme que fugisse das temáticas usuais dos filmes para o público jovem, e que não se passasse em um grande centro urbano.

Nos últimos anos o cinema brasileiro apresentou uma série de filmes sobre relacionamentos a partir ponto de vista feminino ou dividido entre ambos os sexos. A proposta de ‘Todas as razões para esquecer’ do diretor estreante em longas, Pedro Coutinho é tratar do tema através da perspectiva masculina. “Também existem homens neuróticos, magoados, perdidos, solitários e equivocados, mas com uma imensa capacidade de querer se entender e descobrir o melhor jeito de se relacionar”, completa o…

Nos últimos anos o cinema brasileiro apresentou uma série de filmes sobre relacionamentos a partir ponto de vista feminino ou dividido entre ambos os sexos. A proposta de ‘Todas as razões para esquecer’ do diretor estreante em longas, Pedro Coutinho é tratar do tema através da perspectiva masculina. “Também existem homens neuróticos, magoados, perdidos, solitários e equivocados, mas com uma imensa capacidade de querer se entender e descobrir o melhor jeito de se relacionar”, completa o…

– “Não sou um ator”.  Essas são as palavras do próprio Criolo ao ser perguntado sobre qual personagem ele gostaria de fazer no cinema. Ele sabe, no entanto, da força da sua representatividade enquanto artista. Um artista que tem forte identificação na periferia e no rap. Por isso, Criolo aceita atuar em filmes que tratam de realidades que condizem com esse universo.

– “Não sou um ator”. Essas são as palavras do próprio Criolo ao ser perguntado sobre qual personagem ele gostaria de fazer no cinema. Ele sabe, no entanto, da força da sua representatividade enquanto artista. Um artista que tem forte identificação na periferia e no rap. Por isso, Criolo aceita atuar em filmes que tratam de realidades que condizem com esse universo.

Julia Rezende tem o cinema correndo em seu DNA. Ela é filha de Sérgio Rezende, cineasta responsável por ‘Guerra de Canudos’ (1997), ‘Zuzu Angel’ (2006) e o recente ‘Em Nome da Lei’ (2016), entre outros, e de Mariza Leão, produtora que é uma referência dentro do mercado audiovisual nacional.

Julia Rezende tem o cinema correndo em seu DNA. Ela é filha de Sérgio Rezende, cineasta responsável por ‘Guerra de Canudos’ (1997), ‘Zuzu Angel’ (2006) e o recente ‘Em Nome da Lei’ (2016), entre outros, e de Mariza Leão, produtora que é uma referência dentro do mercado audiovisual nacional.

Da eclética lista dos seis longas-metragens nacionais em competição nesta edição do tradicional Festival de Gramado, que acontece entre 26 de agosto e 3 de setembro na serra gaúcha, ‘El Mate’ talvez seja a maior surpresa. É o único sem nenhum ator global no elenco e assinado por um cineasta estreante em longas-metragens, Bruno Kott.

Da eclética lista dos seis longas-metragens nacionais em competição nesta edição do tradicional Festival de Gramado, que acontece entre 26 de agosto e 3 de setembro na serra gaúcha, ‘El Mate’ talvez seja a maior surpresa. É o único sem nenhum ator global no elenco e assinado por um cineasta estreante em longas-metragens, Bruno Kott.

Quem ainda tem na cabeça a imagem daquela Marina Person da MTV vai levar um choque ao assistir ‘Canção da Volta’, seu primeiro longa-metragem como protagonista. Um choque positivo, é bom frisar. Além de apresentadora e diretora (dos premiados ‘Person’ e ‘Califórnia’), ela se revela uma ótima atriz, tendo nas mãos uma personagem bastante complexa.

Quem ainda tem na cabeça a imagem daquela Marina Person da MTV vai levar um choque ao assistir ‘Canção da Volta’, seu primeiro longa-metragem como protagonista. Um choque positivo, é bom frisar. Além de apresentadora e diretora (dos premiados ‘Person’ e ‘Califórnia’), ela se revela uma ótima atriz, tendo nas mãos uma personagem bastante complexa.

A expectativa para a chegada do primeiro filho é o ponto de partida de ‘O Filho Eterno’, filme do diretor Paulo Machline em cartaz nos cinemas desde o dia 1º de dezembro. A euforia do pai, Roberto (Marcos Veras, revelado no Porta dos Fundos) dá lugar à frustração quando, instantes depois do parto, ele recebe a notícia de que a criança é portadora da Síndrome de Down.

A expectativa para a chegada do primeiro filho é o ponto de partida de ‘O Filho Eterno’, filme do diretor Paulo Machline em cartaz nos cinemas desde o dia 1º de dezembro. A euforia do pai, Roberto (Marcos Veras, revelado no Porta dos Fundos) dá lugar à frustração quando, instantes depois do parto, ele recebe a notícia de que a criança é portadora da Síndrome de Down.

No suspense argentino ‘No Fim do Túnel’, a rotina vagarosa de um homem paraplégico é interrompida quando uma jovem mãe e sua filha alugam um dos quartos disponíveis em seu casarão. Apenas alguns dias depois, enquanto mexe em sua oficina no porão, ele descobre que ladrões estão planejando um roubo a banco, por um túnel que passa embaixo da casa onde mora.

No suspense argentino ‘No Fim do Túnel’, a rotina vagarosa de um homem paraplégico é interrompida quando uma jovem mãe e sua filha alugam um dos quartos disponíveis em seu casarão. Apenas alguns dias depois, enquanto mexe em sua oficina no porão, ele descobre que ladrões estão planejando um roubo a banco, por um túnel que passa embaixo da casa onde mora.

O anúncio da escolha de “Pequeno Segredo” para representar o Brasil no Oscar foi recebido por uma mistura de supresa e curiosidade. Surpresa porque era grande a expectativa para ver o nome de ‘Aquarius’, filme de Kleber Mendonça Filho como o indicado. Não foi! A comissão instituída pelo Ministério da Cultura optou por “Pequeno Segredo”, do diretor David Schurmann entre 15 longas na disputa.

O anúncio da escolha de “Pequeno Segredo” para representar o Brasil no Oscar foi recebido por uma mistura de supresa e curiosidade. Surpresa porque era grande a expectativa para ver o nome de ‘Aquarius’, filme de Kleber Mendonça Filho como o indicado. Não foi! A comissão instituída pelo Ministério da Cultura optou por “Pequeno Segredo”, do diretor David Schurmann entre 15 longas na disputa.

Pinterest
Pesquisar