Explore Anjos, Tudo e muito mais!

Explorar tópicos relacionados

Augusto dos Anjos - 001 - Monólogo de uma sombra

“Sou uma Sombra! Venho de outras eras, Do cosmopolitismo das moneras... Pólipo de recônditas reentrâncias, Larva de caos telúrico, p...

Poesia - Sanderlei Silveira: Augusto dos Anjos - 095 - A nau

A Heitor de Lima Sôfrega, alçando o hirto esporão guerreiro, Zarpa. A íngreme cordoalha úmida fica... Lambe-lhe a quilha a es...

Versos íntimos - Augusto dos Anjos  | Poema

Versos íntimos – Augusto dos Anjos

Vês! Ninguém assistiu ao formidável, Enterro de tua última quimera. Somente a Ingratidão -- esta pantera -- Foi tua companheira inseparável!

Poesia - Sanderlei Silveira: Augusto dos Anjos - 045 - Vandalismo

A antítese do novo e do obsoleto, O Amor e a Paz, o Ódio e a Carnificina, O que o homem ama e o que o homem abomina. Tudo convém para...

Poesia - Sanderlei Silveira: Augusto dos Anjos - 080 - O canto dos presos

Eu e o esqueleto esquálido de Esquilo Viajávamos, com uma ânsia sibarita, Por toda a pró-dinâmica infinita, Na inconsciência de um z...

Augusto dos Anjos - Eu e Outras Poesias: 025 - Os doentes

Augusto dos Anjos - 035 - Contrastes A antítese do novo e do obsoleto, O Amor e a Paz, o Ódio e a Carnificina, O que o ...

Poesia - Sanderlei Silveira: Augusto dos Anjos - 013 - Budismo moderno

Tome, Doutor, esta tesoura, e... corte Minha singularíssima pessoa. Que importa a mim que a bicharia roa Todo o meu coração, depois ...

Poesia - Sanderlei Silveira: Augusto dos Anjos - 087 - Anseio

Quem sou eu, neste ergástulo das vidas Danadamente, a soluçar de dor?! -- Trinta trilhões de células vencidas, Nutrindo uma ef...

Poesia - Sanderlei Silveira: Augusto dos Anjos - 044 - Alucinação à beira-mar

Um medo de morrer meus pés esfriava. Noite alta. Ante o telúrico recorte, Na diuturna discórdia, a equórea coorte Atordoadoram...

Pinterest
Pesquisar