Explore Fabrício Carpinejar, Cogumelos e muito mais!

Explorar tópicos relacionados

Andre Ferrari | Fotografia: Cogumelos

Andre Ferrari | Fotografia: Cogumelos

Abraço tem que ter pegada, jeito, curva. Aperto suave, que pode virar colo. Alento tenso, que pode virar despedida. Abraço é confissão. Abraço não pode ser rápido senão é empurrão. Requer cruzamento dos braços e uma demora do rosto no linho. Abraço é para atravessar o nosso corpo. Fabrício Carpinejar

Sunset Love Shoot from Alyssa Michelle Photography

Abraço tem que ter pegada, jeito, curva. Aperto suave, que pode virar colo. Alento tenso, que pode virar despedida. Abraço é confissão. Abraço não pode ser rápido senão é empurrão. Requer cruzamento dos braços e uma demora do rosto no linho. Abraço é para atravessar o nosso corpo. Fabrício Carpinejar

Um texto de um dos escritores que melhor sabe falar sobre o amor: Fabrício Carpinejar. “A intensidade assusta, amar assusta, lutar por

Fabrício Carpinejar- um texto sobre a vida

Um texto de um dos escritores que melhor sabe falar sobre o amor: Fabrício Carpinejar. “A intensidade assusta, amar assusta, lutar por

Ando no escuro para tocar onde não devo. Amor é tocar onde não se deve. E curar sem entender a doença. Fabrício Carpinejar

Ando no escuro para tocar onde não devo. Amor é tocar onde não se deve. E curar sem entender a doença. Fabrício Carpinejar

CoisasMinhas: Minha avó dizia: para ser feliz, a gente não preci...

CoisasMinhas: Minha avó dizia: para ser feliz, a gente não preci...

Imagem do dia...

Imagem do dia...

O amor nunca morre de morte natural, Fabrício Carpinejar

O amor nunca morre de morte natural, Fabrício Carpinejar

Belas Imagens …

Viver é esforço e nos traz a paz de sonhar. — Fabrício Carpinejar

Viver é esforço e nos traz a paz de sonhar. — Fabrício Carpinejar

Chega um momento em que somos aves na noite,pura plumagem, dormindo de pé,com a cabeça encolhida.O que tanto zelamos na fileira dos dias,o que tanto brigamos para guardar, de repente não presta mais: jornais, retratos,poemas, posteridade... Minha bagagem é a roupa docorpo. (Fabrício Carpinejar)

Chega um momento em que somos aves na noite,pura plumagem, dormindo de pé,com a cabeça encolhida.O que tanto zelamos na fileira dos dias,o que tanto brigamos para guardar, de repente não presta mais: jornais, retratos,poemas, posteridade... Minha bagagem é a roupa docorpo. (Fabrício Carpinejar)

"Canalha!", de Fabrício Carpinejar.

"Canalha!", de Fabrício Carpinejar.

Pinterest
Pesquisar