Explore these ideas and more!

Perspectiva do cais após o término da I Guerra Mundial e da reativação da linha Manaus-Lisboa-Hamburgo, com o Navio Lima, pela Transporte Marítimos Portugueses. Fotografia tirada na década de 1920. Fonte: Manaus Sorriso.

Perspectiva do cais após o término da I Guerra Mundial e da reativação da linha Manaus-Lisboa-Hamburgo, com o Navio Lima, pela Transporte Marítimos Portugueses. Fotografia tirada na década de 1920. Fonte: Manaus Sorriso.

O prédio ao centro da imagem é o edifício Tartaruga, erguido no período áureo da borracha e tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (IPHAN). Acervo: Biblioteca Samuel Benchimol.

O prédio ao centro da imagem é o edifício Tartaruga, erguido no período áureo da borracha e tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (IPHAN). Acervo: Biblioteca Samuel Benchimol.

O imóvel se localizava na Av. Eduardo Ribeiro, esquina com a Rua 24 de Maio. Carlos Guilherme Gordon Studart era farmacêutico e veio para Manaus em 1899, fundou uma Farmácia na Av. Foto: Acervo Amazonas em Tempo. Fonte: Manaus Sorriso.

O imóvel se localizava na Av. Eduardo Ribeiro, esquina com a Rua 24 de Maio. Carlos Guilherme Gordon Studart era farmacêutico e veio para Manaus em 1899, fundou uma Farmácia na Av. Foto: Acervo Amazonas em Tempo. Fonte: Manaus Sorriso.

Perspectiva da Rua Guilherme Moreira, vista na direção da Praça da Polícia com o  prédio da Agência do London Bank em destaque. Registro fotográfico da década de 1940. Foto: Silvino Santos - Coleção Ed Lincon. Fonte: Manaus Sorriso.

Perspectiva da Rua Guilherme Moreira, vista na direção da Praça da Polícia com o prédio da Agência do London Bank em destaque. Registro fotográfico da década de 1940. Foto: Silvino Santos - Coleção Ed Lincon. Fonte: Manaus Sorriso.

Foto aérea do Centro da cidade, com seus altos edifícios em destaque, contrastando com os antigos casarões do período áureo da borracha, que ainda continuam preservados. Acervo: Biblioteca Samuel Benchimol.

Foto aérea do Centro da cidade, com seus altos edifícios em destaque, contrastando com os antigos casarões do período áureo da borracha, que ainda continuam preservados. Acervo: Biblioteca Samuel Benchimol.

Vista aérea do Centro de Manaus. À direita, a Matriz de Nossa Senhora da Conceição com seus jardins e o antigo Aviaquário. Acervo: Museu da Imagem e do Som (MISAM).

Vista aérea do Centro de Manaus. À direita, a Matriz de Nossa Senhora da Conceição com seus jardins e o antigo Aviaquário. Acervo: Museu da Imagem e do Som (MISAM).

Vista do prédio da Alfândega, e, no canto esquerdo, as casas antigas que deram lugar ao prédio do Ministério da Fazenda. Acervo: Museu da Imagem e do Som - MISAM.

Vista do prédio da Alfândega, e, no canto esquerdo, as casas antigas que deram lugar ao prédio do Ministério da Fazenda. Acervo: Museu da Imagem e do Som - MISAM.

Reportagem da Revista O Cruzeiro de 1971, edição 37 que trata da implantação da Zona Franca de Manaus como fator de desenvolvimento do Brasil.

Reportagem da Revista O Cruzeiro de 1971, edição 37 que trata da implantação da Zona Franca de Manaus como fator de desenvolvimento do Brasil.

Solenidade da abertura da Rodovia da Integração BR-319. Foto: Corrêa Lima. Acervo: Jorge Bastos de Oliveira/DER-AM.

Solenidade da abertura da Rodovia da Integração BR-319. Foto: Corrêa Lima. Acervo: Jorge Bastos de Oliveira/DER-AM.

Cartão Postal datado de 1898 da Ponte Benjamin Constant, localizada na avenida Sete de Setembro em Manaus. Acervo: B. Meyer (Paris).

Cartão Postal datado de 1898 da Ponte Benjamin Constant, localizada na avenida Sete de Setembro em Manaus. Acervo: B. Meyer (Paris).

Perspectiva parcial a partir da torre sineira da Igreja de São Sebastião, mostrando o pórtico do Teatro, parte da Praça de São Sebastião e, ao fundo, a região do entorno da Avenida Eduardo Ribeiro até o Rio Negro. A fotografia é um cartão postal da década de 1910. Fonte: Manaus Sorriso.

Perspectiva parcial a partir da torre sineira da Igreja de São Sebastião, mostrando o pórtico do Teatro, parte da Praça de São Sebastião e, ao fundo, a região do entorno da Avenida Eduardo Ribeiro até o Rio Negro. A fotografia é um cartão postal da década de 1910. Fonte: Manaus Sorriso.

Recuperação e alargamento da avenida Carvalho Leal, bairro Cachoeirinha, obra do prefeito Frank Lima, 1974. Acervo: Frank Abrahim Lima.

Recuperação e alargamento da avenida Carvalho Leal, bairro Cachoeirinha, obra do prefeito Frank Lima, 1974. Acervo: Frank Abrahim Lima.

Avenida Silves, atual Costa e Silva, recebendo obras de terraplanagem e prolongamento até a Avenida Presidente Kennedy. Documento fotográfico da década de 1960. Acervo: Edlucio De Castro Alves. Fonte: Manaus Sorriso.

Avenida Silves, atual Costa e Silva, recebendo obras de terraplanagem e prolongamento até a Avenida Presidente Kennedy. Documento fotográfico da década de 1960. Acervo: Edlucio De Castro Alves. Fonte: Manaus Sorriso.

Vista aérea do bairro Cachoeirinha, no ano de 1959. Destaque para o terreno em forma de elipse, onde era localizado o Velódromo Álvaro Maia, antes Velódromo Recreio. Acervo: Moacir Andrade.

Vista aérea do bairro Cachoeirinha, no ano de 1959. Destaque para o terreno em forma de elipse, onde era localizado o Velódromo Álvaro Maia, antes Velódromo Recreio. Acervo: Moacir Andrade.

O posto se localizava no bairro do Girao (atual Chapada) e atendia aos moradores dos Bairros de Girao, Preguiça e Bilhares e as colônias agrícolas Campos Salles, Franceses e João Alfredo. Fotografia tirada na década de 1920. Foto: Acervo Samuel Uchoa. Fonte: Manaus Sorriso.

O posto se localizava no bairro do Girao (atual Chapada) e atendia aos moradores dos Bairros de Girao, Preguiça e Bilhares e as colônias agrícolas Campos Salles, Franceses e João Alfredo. Fotografia tirada na década de 1920. Foto: Acervo Samuel Uchoa. Fonte: Manaus Sorriso.

A intensa corrente de automóveis, carruagens descobertas e de tramways elétricos pela grande artéria (1910)

A intensa corrente de automóveis, carruagens descobertas e de tramways elétricos pela grande artéria (1910)

Pinterest
Search