Pinterest • O catálogo de ideias do mundo todo

Explore Podendo Atingir, Maior e muito mais!

O alce (Alces alces) é um cervídeo, o maior dos cervos, podendo atingir mais de 2 metros de altura ao nível das espáduas e pesar mais de 700 kg (no caso dos machos; as fêmeas são menores). Distingue-se dos restantes membros da família pelo tipo particular de galhadas: geralmente presentes apenas nos machos, têm secção cilíndrica e formato de taça e podem atingir 1,60 m de amplitude. O alce é um animal típico das regiões circumpolares. Na Europa, ocorre essencialmente na Finlândia.

de viajeaqui.abril.com.br

Fotos de 20 animais da Amazônia

Surucucu (<em>Lachesis muta</em>)

A lebre é a designação vulgar de várias espécies de mamíferos da família Leporidae, pertencentes a um dos seguintes gêneros: Lepus, Caprolagus ou Pronolagus. Podendo-se locomover com grande velocidade, certas espécies de lebres podem atingir até 55 km/h. O macho denomina-se lebrão ou lebracho1 , a fêmea lebre e os filhotes láparos. A lebre, geralmente, é um animal muito tímido, podendo viver em pares ou solitariamente.

O Pinguim Imperador vive no Ártico, em colônias com mais de centenas de indivíduos, sendo que é um dos poucos animais que não saem de lá no inverno. Ele é um excelente nadador, podendo atingir uma velocidade de 40km/h, mergulhando até 60m de profundidade, podendo prender a respiração por cerca de 20 minutos, fora conseguir, com um único salto, sair da água e ir par um bloco de gelo.

animais selvagens tumblr - Pesquisa do Google

de viajeaqui.abril.com.br

Fotos de animais ameaçados de extinção

As tartarugas-gigantes prosperavam em Galápagos, mas a caça por sua carne e a introdução de animais domésticos acabaram por dizimar sua população. Essa é a história do Solitário George (Chelonoidis (nigra) abingdonii), o último sobrevivente da Ilha de Pinta, considerado o animal mais raro do mundo. Ele é um símbolo da luta pela conservação e morreu no dia 24 de junho de 2012, no Centro de Criação e Reprodução de Tartarugas Gigantes de Puerto Ayora.

de viajeaqui.abril.com.br

Fotos de animais ameaçados de extinção

A última ararinha-azul (Cyanopsitta spixii) avistada na natureza foi no ano 2000. O tráfico de animais e a perda de habitat podem ter levado essa espécie à extinção. Atualmente é encontrada em zoológicos e coleções particulares espalhados pelo mundo, mas existe uma pequena possibilidade de que existam populações em áreas ainda não estudadas na Caatinga. Hoje, programas de reprodução em cativeiro e reintrodução da espécie ao habitat natural tentam salvar a ararinha-azul da extinção

de viajeaqui.abril.com.br

Fotos de animais ameaçados de extinção

Animal símbolo do navegador para internet Firefox, o panda-vermelho (Ailurus fulgens) habita florestas de bambu, seu principal alimento. O desmatamento, a proximidade com os seres-humanos e a caça ilegal são ameaças antigas. Mas, o crescimento do turismo em algumas regiões vem aumentando ainda mais a pressão sobre a espécie. O número crescente de pessoas causa uma demanda maior por lenha, para esquentar os hotéis e preparar as refeições, aumentando o desmatamento e diminuindo o habitat do…

de viajeaqui.abril.com.br

Fotos de animais ameaçados de extinção

A maior arara do mundo está ameaçada de extinção. A arara-azul (Anodorhynchus hyacinthinus) sofre com o desmatamento, a falta de cavidades para reprodução, com a coleta de ovos e de filhotes para tráfico e com a caça para a fabricação de artefatos para serem vendidos aos turistas. Porém, graças aos esforços do Projeto Arara Azul, a população da espécie segue aumentando Status na IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês): espécie vulnerável

de viajeaqui.abril.com.br

Fotos: 13 animais extintos que podem voltar à vida

Dodô (Raphus cucullatus) O dodô era uma ave que existia nas Ilhas Maurício, no Oceano Índico. Longe de predadores, o animal perdeu a habilidade de voar durante a evolução e explorava seu habitat a pé. Quando os primeiros navegantes chegaram às ilhas no fim do século 16, começaram a caçar as aves indefesas, que também eram alvo de animais domésticos como gatos e cachorros (o biguá-de-galápagos enfrenta os mesmos problemas hoje). Em 1662 o animal entrou em extinção.