Explore Deixe Viver, Vai Viver e muito mais!

Explorar tópicos relacionados

DEIXE VIVER!  Barulhos! Gritos ..Lamentos Todos  acharam um jeito Na minha mente  habitar!  Quisera poder falar Mas a algazarra e tanta Que as vezes  fico a rolar! Não sei ! O que vou pensar!  Lembranças !   carinhos! Sufocos! Lagrimas ..Sozinhos! Nada vai adiantar!  É a presença constante!  Tentando intimidar!  Razão!  E o coração Batendo  tão ritmado Que chego a sentir No peito  A dor aqui do outro lado!  Parem!  Por favor parem! Deixem que a vida resolva Se vai viver ..Ou morrer! Mari

DEIXE VIVER! Barulhos! Gritos ..Lamentos Todos acharam um jeito Na minha mente habitar! Quisera poder falar Mas a algazarra e tanta Que as vezes fico a rolar! Não sei ! O que vou pensar! Lembranças ! carinhos! Sufocos! Lagrimas ..Sozinhos! Nada vai adiantar! É a presença constante! Tentando intimidar! Razão! E o coração Batendo tão ritmado Que chego a sentir No peito A dor aqui do outro lado! Parem! Por favor parem! Deixem que a vida resolva Se vai viver ..Ou morrer! Mari

VIDA BREVE!  Insignificantes  pó!   Areia! Vento! Calmo Tempestades Nada somos Aos teus pés!  Tu nos deixa Livremente Aprender a caminhar.  O que cresce Junto a nós É a certeza Essa algoz Que deturpa O pensar.  Nada certo! Tudo incerto Isso tudo É passagem De repente Irá findar!  As lições Se aprende só Pois a vida Não tem dó Vai na certa Te cobrar.  Por favor! Faça sorrir Faça amor Dê a paz A alegria Antes dela se chegar! Marilene Azevedo

VIDA BREVE! Insignificantes pó! Areia! Vento! Calmo Tempestades Nada somos Aos teus pés! Tu nos deixa Livremente Aprender a caminhar. O que cresce Junto a nós É a certeza Essa algoz Que deturpa O pensar. Nada certo! Tudo incerto Isso tudo É passagem De repente Irá findar! As lições Se aprende só Pois a vida Não tem dó Vai na certa Te cobrar. Por favor! Faça sorrir Faça amor Dê a paz A alegria Antes dela se chegar! Marilene Azevedo

SILÊNCIO QUE FALA!  Hummm  Como a noite que cai Cai o silêncio na alma E  a mente  reclama e fala Por onde anda você?  Talvez ..Não lembre Não importa! Fechou a porta Para não ouvir Não sentir Sem existir.  E a alma que não esquece Em quietude padece Carinhos que perdi. Não vi!  O olhar se esvaindo..Indo Nesse horizonte perdido Para não voltar ..Aqui.  Por favor ..Madrugada Faz o meu dia nascer Quero ver O Sol dando boas vindas E  o sorriso florir! Marilene Azevedo.

SILÊNCIO QUE FALA! Hummm Como a noite que cai Cai o silêncio na alma E a mente reclama e fala Por onde anda você? Talvez ..Não lembre Não importa! Fechou a porta Para não ouvir Não sentir Sem existir. E a alma que não esquece Em quietude padece Carinhos que perdi. Não vi! O olhar se esvaindo..Indo Nesse horizonte perdido Para não voltar ..Aqui. Por favor ..Madrugada Faz o meu dia nascer Quero ver O Sol dando boas vindas E o sorriso florir! Marilene Azevedo.

GOSTO DESSE GOSTAR!   Gosto deste chegar permanente Que chega ..A sorrir contente Trazendo augúrio e paz   Gosto desse gostar Tão gostoso Amigo e libidinoso Em horas tão desiguais.  Gosto e por gostar  Do teu jeito Encarcerei-te no peito Como uma jóia rara Valiosa e tão cara De preciosa..Oculta está!  És a magia dos sonhos És a ave de rapina Que vigia as esquinas E carregas a voar!  Gosto!  Desse respirar harmonioso Gosto desse teu cheiro gostoso Gosto!  Desse brotar de vida Que em mim

GOSTO DESSE GOSTAR! Gosto deste chegar permanente Que chega ..A sorrir contente Trazendo augúrio e paz Gosto desse gostar Tão gostoso Amigo e libidinoso Em horas tão desiguais. Gosto e por gostar Do teu jeito Encarcerei-te no peito Como uma jóia rara Valiosa e tão cara De preciosa..Oculta está! És a magia dos sonhos És a ave de rapina Que vigia as esquinas E carregas a voar! Gosto! Desse respirar harmonioso Gosto desse teu cheiro gostoso Gosto! Desse brotar de vida Que em mim

Lamento Pelo descaso Lamento  Pelo atraso  Lamento Esse querer!  Lamento  Não poder ver  Lamento A covardia  Lamento Própria existência  Lamento Esse viver!  Lamento O desamor  Lamento A minha dor  Lamento Ter tanto amor  Lamento Pelo lamento Que joguei E foi extinto  Lamento  Ter conhecido! Marilene Azevedo

Lamento Pelo descaso Lamento Pelo atraso Lamento Esse querer! Lamento Não poder ver Lamento A covardia Lamento Própria existência Lamento Esse viver! Lamento O desamor Lamento A minha dor Lamento Ter tanto amor Lamento Pelo lamento Que joguei E foi extinto Lamento Ter conhecido! Marilene Azevedo

Inverdade tudo é Cada um representado Nesse palco De ilusão! Forja amor por piedade Nunca amou..Só gratidão!  Sensações de felicidade Que assusta ..Que transforma Bebe a vida trás a luz Nos conduz ao infinito Que o brilho ofusca a mente A sorrir ..Tão simplesmente.  Tenho pena!  Tenho dó! Vais chegar ao fim da vida Lamentar o que perdeu Vai chorar..Vai virar pó! Marilene Azevedo

Inverdade tudo é Cada um representado Nesse palco De ilusão! Forja amor por piedade Nunca amou..Só gratidão! Sensações de felicidade Que assusta ..Que transforma Bebe a vida trás a luz Nos conduz ao infinito Que o brilho ofusca a mente A sorrir ..Tão simplesmente. Tenho pena! Tenho dó! Vais chegar ao fim da vida Lamentar o que perdeu Vai chorar..Vai virar pó! Marilene Azevedo

OUSAS!  Ousas insinuarte Com nuances  Toques..Mornos  Alisas de leve a pele Como a tatear sem sentido Buscando  sentir o tecido Da pele roçar o vestido  Mansamente  se insinua Sabe que a pele nua Vai salientar arrepios Como a gritar o frio Que no interior havia.  Ah!  Como sabes o que produz Galafrios..Fogo e Luz Na aceleração avançada Sente  as garras afiada Ferozmente a lhe gravar!  E o furor do olhar A invadir o seu ser Não deixa!  Não quer saber!

OUSAS! Ousas insinuarte Com nuances Toques..Mornos Alisas de leve a pele Como a tatear sem sentido Buscando sentir o tecido Da pele roçar o vestido Mansamente se insinua Sabe que a pele nua Vai salientar arrepios Como a gritar o frio Que no interior havia. Ah! Como sabes o que produz Galafrios..Fogo e Luz Na aceleração avançada Sente as garras afiada Ferozmente a lhe gravar! E o furor do olhar A invadir o seu ser Não deixa! Não quer saber!

SAUDADES DOS TEMPO.  Como quem chega de longe Carregando saudades no peito Trazendo carinhos ..Dessassosegos Para matar por aqui.  Que triste é ter que partir Deixando lembranças pra trás Como se não fosse voltar mais E agora esta aqui.  Pedaços meus tão guardados De saudades redobrada Que hoje por mim lembrada Apertos..Dói demais  Quero afogar todas elas Relembrar doces quimeras Dos tempos aqui passados E agora  recordados Por aqui...Não volto mais! Marilene Azevedo

SAUDADES DOS TEMPO. Como quem chega de longe Carregando saudades no peito Trazendo carinhos ..Dessassosegos Para matar por aqui. Que triste é ter que partir Deixando lembranças pra trás Como se não fosse voltar mais E agora esta aqui. Pedaços meus tão guardados De saudades redobrada Que hoje por mim lembrada Apertos..Dói demais Quero afogar todas elas Relembrar doces quimeras Dos tempos aqui passados E agora recordados Por aqui...Não volto mais! Marilene Azevedo

Paulo GARAJAU: E ai, quer aprender Música?

Paulo GARAJAU: E ai, quer aprender Música?

SÁBIOS E PREGADORES!  Pregações!  Ouço-as demais. Tantos certos! Tantos sábios! Que me perco em sermões.  Questionar conhecimentos Sem saber quem vós o sois É quase ignorância.  Sem saber  o que vem depois.  O tempo por mim passou E eu ainda nem sei quem sou Partirei dessa viagem  Sem saber para onde vou.  Os sábios que me perdoem Os pregadores também É que a minha coragem precisa ir mais além! Marilene Azevedo

SÁBIOS E PREGADORES! Pregações! Ouço-as demais. Tantos certos! Tantos sábios! Que me perco em sermões. Questionar conhecimentos Sem saber quem vós o sois É quase ignorância. Sem saber o que vem depois. O tempo por mim passou E eu ainda nem sei quem sou Partirei dessa viagem Sem saber para onde vou. Os sábios que me perdoem Os pregadores também É que a minha coragem precisa ir mais além! Marilene Azevedo

Pinterest
Pesquisar