Explore Museu, Alemanha e muito mais!

Explorar tópicos relacionados

Metal, couro, vidro, madeira. Sem local, sem data. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. A máquina foi comprada pelo pai da doadora, Eduardo Boeckh, em Paris no ano de 1910. Ela foi usada até 1925 na cidade de Schiltach, Alemanha. Autor da foto: Conrado Secassi.

Metal, couro, vidro, madeira. Sem local, sem data. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. A máquina foi comprada pelo pai da doadora, Eduardo Boeckh, em Paris no ano de 1910. Ela foi usada até 1925 na cidade de Schiltach, Alemanha. Autor da foto: Conrado Secassi.

Mala. Fibra vulcanizada, couro, metal, tecido, fio de nylon. Sem local, sem data. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. A mala pertenceu a sua mãe e foi usada na viagem de Eva para o Brasil no ano de 1955. Autores das fotos: Conrado Secassi; Isabela Maia.

Mala. Fibra vulcanizada, couro, metal, tecido, fio de nylon. Sem local, sem data. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. A mala pertenceu a sua mãe e foi usada na viagem de Eva para o Brasil no ano de 1955. Autores das fotos: Conrado Secassi; Isabela Maia.

Álbum de poesias. Papel, couro, metal, algodão. Local ilegível, 1902 - 1908. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. Livro manuscrito em alemão, com as seguintes inscrições na folha de guarda “Ostern - Sara Grabo”. Segundo a doadora, é um álbum de poesia que pertenceu a Christa Radius, migrante alemã saída da cidade de Dresden que veio para o Brasil na década de 1950. Autor da foto: Conrado Secassi

Álbum de poesias. Papel, couro, metal, algodão. Local ilegível, 1902 - 1908. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. Livro manuscrito em alemão, com as seguintes inscrições na folha de guarda “Ostern - Sara Grabo”. Segundo a doadora, é um álbum de poesia que pertenceu a Christa Radius, migrante alemã saída da cidade de Dresden que veio para o Brasil na década de 1950. Autor da foto: Conrado Secassi

Diário. Papel, couro, metal, tecido. Sem local, sem data. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. Segundo a doadora, é um diário que pertenceu a Christa Radius, migrante alemã saída da cidade de Dresden que veio para o Brasil na década de 1950. Autor da foto: Conrado Secassi.

Diário. Papel, couro, metal, tecido. Sem local, sem data. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. Segundo a doadora, é um diário que pertenceu a Christa Radius, migrante alemã saída da cidade de Dresden que veio para o Brasil na década de 1950. Autor da foto: Conrado Secassi.

Estojo de maquiagem. Metal, espelho. Sem local, sem data. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de Sâo Paulo. Segundo a doadora, o estojo de maquiagem é de 1900 e pertenceu a Christa Radius, migrante alemã saída da cidade de Dresden que veio para o Brasil na década de 1950. Autor da foto: Conrado Secassi.

Estojo de maquiagem. Metal, espelho. Sem local, sem data. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de Sâo Paulo. Segundo a doadora, o estojo de maquiagem é de 1900 e pertenceu a Christa Radius, migrante alemã saída da cidade de Dresden que veio para o Brasil na década de 1950. Autor da foto: Conrado Secassi.

Régua de cálculo. Madeira, metal, plástico  Sem local, década de 1950.  Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish . Acervo Museu da Imigração de São Paulo. A régua foi utilizada pela doadora em pesquisas no Instituto de Fisiologia da Universidade de Heidelberg, Alemanha. Autor da foto: Autor: Conrado Secassi.

Régua de cálculo. Madeira, metal, plástico Sem local, década de 1950. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish . Acervo Museu da Imigração de São Paulo. A régua foi utilizada pela doadora em pesquisas no Instituto de Fisiologia da Universidade de Heidelberg, Alemanha. Autor da foto: Autor: Conrado Secassi.

Calendário. Tecido, madeira. Lituânia, 1990. Doação Jenny Marcinkievicius Bumbles. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. O calendário que aparece na fotografia data de 1990, quando o país se tornou independente da antiga União Soviética. O calendário também traz as cores da bandeira nacional, que voltou a ser usada nesse ano depois de um longo período em que permaneceu proibida pelo regime soviético. Autor da foto: Conrado Secassi.

Calendário. Tecido, madeira. Lituânia, 1990. Doação Jenny Marcinkievicius Bumbles. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. O calendário que aparece na fotografia data de 1990, quando o país se tornou independente da antiga União Soviética. O calendário também traz as cores da bandeira nacional, que voltou a ser usada nesse ano depois de um longo período em que permaneceu proibida pelo regime soviético. Autor da foto: Conrado Secassi.

Miniatura de bandeira. Tecido. Brasil, 1969.Doação Jenny Marcinkievicius Bumbles. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. Este objeto pode ser entendido como um símbolo do movimento em prol da libertação do país da União Soviética. As cores possuem um significado próprio. Em uma das interpretações, o amarelo significa o ouro; verde, a floresta e o vermelho, o sangue derramado na guerra. Autor da foto: Conrado Secassi.

Miniatura de bandeira. Tecido. Brasil, 1969.Doação Jenny Marcinkievicius Bumbles. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. Este objeto pode ser entendido como um símbolo do movimento em prol da libertação do país da União Soviética. As cores possuem um significado próprio. Em uma das interpretações, o amarelo significa o ouro; verde, a floresta e o vermelho, o sangue derramado na guerra. Autor da foto: Conrado Secassi.

Plaina guilherme. Madeira. Itália, sem data. Doação Egydio Torrezani. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. Esta plaina faz parte de um conjunto de ferramentas de marcenaria, composto por esquadros, graminho e um baú, que pertenceram ao seu avô, Luis (Luigi) Torezan. Luiz era marceneiro Luiz era marceneiro em San Giorgio in Bosco  e trouxe seus instrumentos de trabalho a bordo do navio Cachar. Ele e seu baú chegaram ao porto de Santos em fevereiro de em 1889. Autor da foto: Conrado…

Plaina guilherme. Madeira. Itália, sem data. Doação Egydio Torrezani. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. Esta plaina faz parte de um conjunto de ferramentas de marcenaria, composto por esquadros, graminho e um baú, que pertenceram ao seu avô, Luis (Luigi) Torezan. Luiz era marceneiro Luiz era marceneiro em San Giorgio in Bosco e trouxe seus instrumentos de trabalho a bordo do navio Cachar. Ele e seu baú chegaram ao porto de Santos em fevereiro de em 1889. Autor da foto: Conrado…

Bíblia luterana. Papel, couro. Stuttgart, Alemanha, 1923. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. Bíblia Luterana que pertenceu a Christa Radius, migrante alemã saída da cidade de Dresden que veio para o Brasil na década de 1950. Autor da foto: Conrado Secassi.

Bíblia luterana. Papel, couro. Stuttgart, Alemanha, 1923. Doação Eva Maria Augusta Boeckh Haesbish. Acervo Museu da Imigração de São Paulo. Bíblia Luterana que pertenceu a Christa Radius, migrante alemã saída da cidade de Dresden que veio para o Brasil na década de 1950. Autor da foto: Conrado Secassi.

Pinterest
Pesquisar