Explore Ter Gosto, Certo e muito mais!

Explorar tópicos relacionados

Obrigada meu Pai do Céu  Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu  Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu  Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu  Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu  Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

FANTÁSTICAS ideias de CABECEIRAS de CAMA – FOTOS e DICAS para escolher a cabeceira perfeita!

FANTÁSTICAS ideias de CABECEIRAS de CAMA – FOTOS e DICAS para escolher a cabeceira perfeita!

Facilitamos-lhe a escolha da cabeceira de cama ideal - fatores importantes a ter em conta e vários exemplos de cabeceiras de cama originais e diferentes.

Facilitamos-lhe a escolha da cabeceira de cama ideal - fatores importantes a ter em conta e vários exemplos de cabeceiras de cama originais e diferentes.

Obrigada meu Pai do Céu  Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu  Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu  Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Obrigada meu Pai do Céu Por me permitir ter olhos de ver. Ver teu amor, tua justiça. Ver as árvores, as flores, os rios. A natureza que criastes fora do comum, Quando tantos outros olhos passam ao léu Sem a perceber. Obrigada meu pai terreno, Não lembro ao certo, Mas creio desde sempre me ensinar A ter gosto pela literatura, versos, poesias. E também a amar as cores Quando me brindavas Com extensa gama de tons nas caixas de colorir, E permitir que eu colocasse cores Nas imagens dos teus…

Pinterest
Pesquisar