Pinterest • O catálogo de ideias do mundo todo

Explore Fim Em, Não Gosto e muito mais!

Huxley é genial, como falar algo sobre ele? Em 1932, abordou, com excelência, temas como reprodução humana assistida e em série, organização da sociedade em castas com papeis predefinidos, preservação da beleza física com o não envelhecimento, sexualidade, questões éticas e religiosas, limites da dimensão humana, o “papel” da mulher na sociedade (não gosto desse termo, mas não encontrei outro melhor), a ciência como fim em si, o totalitarismo, a felicidade química... puxa vida!

García Márquez dispensa comentários... apenas posso dizer que desperta em mim uma irrefreável necessidade de suspirar...

A banalização da violência e da degradação humana; a progressiva retomada da liberdade. A obra é uma belíssima história sobre a capacidade de sobrevivência e resistência humana.

Relato jornalístico de valor informativo e histórico, sobre o Hospital Colônia de Barbacena. No entanto, a escrita é muito dramática, impressionantemente repetitiva e até meio “forçada”...

A história da "meio-irmã" de Anne Frank e sua vida em Auschwitz...

"Choveu durante 4 anos, 11 meses e 2 dias." Eu nunca soube ou gostei de desenhar... mas esse livro despertou em mim tanto que eu também não sabia que sentia, que esses rabiscos nem se mostraram uma surpresa tão grande assim... Ah, Gabo, não sei bem porque eu demorei tanto em minha existência para te dar o devido valor... A quem ainda não leu, entenda: você não terá vivido uma vida sem ter conhecido Macondo...

O velho, o mar e a sensibilidade de Hemingway...

"Tudo neste livro é invenção, mas quase tudo aconteceu". Um pai e uma filha comunista desaparecida, em um período da história brasileira de horror, impunidade e ausência.

Primo Levi. É isto um homem?

Quando terminei É isto um homem?, de Primo Levi, a sensação foi a de um "soco no estômago". A capacidade de resistência daquele homem e a história contada sem ódio ou vingança e com uma bela escrita mexeram com meus sentimentos, mais do que qualquer outra obra que eu já li sobre o holocausto. Agora, leio A Trégua, a continuação da primeira obra, após a queda do Terceiro Reich e a libertação de Auschwitz, quando Levi viaja em retorno pela Europa semidestruída.