Explore Áreas Rochosas, Copas Das e muito mais!

Explorar tópicos relacionados

Naja nívea – A naja-do-Cabo é encontrada apenas no sul do continente africano, em países como Lesoto, Botsuana, Namíbia e África do Sul. Vive em áreas rochosas, savanas, regiões semidesérticas e até mesmo desertos, como o Kalahari. Passa a maior parte do tempo no solo, mas é uma excelente escaladora, podendo subir nas copas das árvores para capturar filhotes de aves.

Naja nívea – A naja-do-Cabo é encontrada apenas no sul do continente africano, em países como Lesoto, Botsuana, Namíbia e África do Sul. Vive em áreas rochosas, savanas, regiões semidesérticas e até mesmo desertos, como o Kalahari. Passa a maior parte do tempo no solo, mas é uma excelente escaladora, podendo subir nas copas das árvores para capturar filhotes de aves.

Naja annulifera – A naja é uma serpente encontrada ao sul do continente africano, em países como África do Sul, Moçambique, Botsuana, Malauí, Suazilândia e Zimbábue. Vive nas savanas e áreas rochosas, passando a maior parte da vida no solo, muitas vezes se escondendo em cupinzeiros abandonados.

Naja annulifera – A naja é uma serpente encontrada ao sul do continente africano, em países como África do Sul, Moçambique, Botsuana, Malauí, Suazilândia e Zimbábue. Vive nas savanas e áreas rochosas, passando a maior parte da vida no solo, muitas vezes se escondendo em cupinzeiros abandonados.

Naja melanoleuca – A naja-da-floresta é a maior espécie de naja africana, podendo medir até 3,10 metros de comprimento (o tamanho médio é de 2,20 metros). A cabeça é larga e achatada. O corpo é grosso e a cauda é fina. As escamas dorsais são lisas e brilhantes. A cor é predominantemente preta, com a região ventral creme e manchas amareladas espalhadas pelo corpo e face. Dependendo da região, a coloração pode variar entre o marrom e o amarelo.

Naja melanoleuca – A naja-da-floresta é a maior espécie de naja africana, podendo medir até 3,10 metros de comprimento (o tamanho médio é de 2,20 metros). A cabeça é larga e achatada. O corpo é grosso e a cauda é fina. As escamas dorsais são lisas e brilhantes. A cor é predominantemente preta, com a região ventral creme e manchas amareladas espalhadas pelo corpo e face. Dependendo da região, a coloração pode variar entre o marrom e o amarelo.

Psammophis mossambicus – A cobra-oliva-da-grama é encontrada na África Subsaariana, em países como Moçambique, Zimbábue, África do Sul, Namíbia e Botsuana. Vive em savanas úmidas, pântanos e matas ciliares, preferindo ficar sempre próxima à água.

Psammophis mossambicus – A cobra-oliva-da-grama é encontrada na África Subsaariana, em países como Moçambique, Zimbábue, África do Sul, Namíbia e Botsuana. Vive em savanas úmidas, pântanos e matas ciliares, preferindo ficar sempre próxima à água.

Bitis gabonica (víbora-do-Gabão) Maior espécie de víbora, medindo até 1,80 metro de comprimento, 25 centímetros de diâmetro e pesando até 8,50 quilos; a cobra venenosa que possui as maiores presas, que podem medir até cinco centímetros de comprimento; e a que produz a maior quantidade de veneno. A coloração é marrom-avermelhada, com desenhos amarelos e azuis brilhantes. A cabeça é grande e triangular e apresenta um par de “chifres” entre as narinas.

Bitis gabonica (víbora-do-Gabão) Maior espécie de víbora, medindo até 1,80 metro de comprimento, 25 centímetros de diâmetro e pesando até 8,50 quilos; a cobra venenosa que possui as maiores presas, que podem medir até cinco centímetros de comprimento; e a que produz a maior quantidade de veneno. A coloração é marrom-avermelhada, com desenhos amarelos e azuis brilhantes. A cabeça é grande e triangular e apresenta um par de “chifres” entre as narinas.

Crotalus durissus – Essa cascavel, também conhecida como cascavel-sul-americana, é encontrada do México até a Argentina, geralmente em regiões de cerrado, campos abertos, regiões secas, arenosas e pedregosas.

Crotalus durissus – Essa cascavel, também conhecida como cascavel-sul-americana, é encontrada do México até a Argentina, geralmente em regiões de cerrado, campos abertos, regiões secas, arenosas e pedregosas.

Morelia spilota -  A píton-carpete é uma grande serpente encontrada nas florestas e bosques da Austrália, Indonésia e Nova Guiné, que pode medir até 3,50 metros de comprimento e pesar até 15 quilos, sendo os machos menores do que as fêmeas. Existem seis subespécies que se diferem pelo comprimento e coloração. A cabeça é triangular é possui uma faixa de orifícios termossensíveis próxima à boca. A coloração varia do verde ao preto, com manchas mais claras, do branco ao amarelo.

Morelia spilota - A píton-carpete é uma grande serpente encontrada nas florestas e bosques da Austrália, Indonésia e Nova Guiné, que pode medir até 3,50 metros de comprimento e pesar até 15 quilos, sendo os machos menores do que as fêmeas. Existem seis subespécies que se diferem pelo comprimento e coloração. A cabeça é triangular é possui uma faixa de orifícios termossensíveis próxima à boca. A coloração varia do verde ao preto, com manchas mais claras, do branco ao amarelo.

Dendroaspis polylepis – A mamba-negra é uma das serpentes mais venenosas e temidas da África. Seu veneno neurotóxico causa paralisia e se a pessoa picada não receber tratamento imediato, pode morrer em poucos minutos. É uma serpente ágil e, quando ameaçada, pode realizar diversos ataques seguidos. Vive nas savanas, colinas e matas ciliares da região subsaariana do continente, em países como África do Sul, Tanzânia, Quênia, Zimbábue, Zâmbia, Botsuana, Namíbia, Moçambique e Angola.

Dendroaspis polylepis – A mamba-negra é uma das serpentes mais venenosas e temidas da África. Seu veneno neurotóxico causa paralisia e se a pessoa picada não receber tratamento imediato, pode morrer em poucos minutos. É uma serpente ágil e, quando ameaçada, pode realizar diversos ataques seguidos. Vive nas savanas, colinas e matas ciliares da região subsaariana do continente, em países como África do Sul, Tanzânia, Quênia, Zimbábue, Zâmbia, Botsuana, Namíbia, Moçambique e Angola.

Python sebae natalensis – A píton-sul-africana é a segunda maior cobra do continente e uma das maiores do mundo, podendo medir até seis metros de comprimento (o tamanho médio, no entanto, é de aproximadamente quatro metros). Pesa em média 50 quilos, mas alguns indivíduos podem chegar a pesar até 90 quilos. Os machos são menores do que as fêmeas. O corpo é grosso e coberto por manchas que podem variar do marrom ao verde-oliva. A cabeça é triangular e seus dentes são afiados.

Python sebae natalensis – A píton-sul-africana é a segunda maior cobra do continente e uma das maiores do mundo, podendo medir até seis metros de comprimento (o tamanho médio, no entanto, é de aproximadamente quatro metros). Pesa em média 50 quilos, mas alguns indivíduos podem chegar a pesar até 90 quilos. Os machos são menores do que as fêmeas. O corpo é grosso e coberto por manchas que podem variar do marrom ao verde-oliva. A cabeça é triangular e seus dentes são afiados.

Pantherophis guttatus guttatus – A cobra-do-milho é originária da América do Norte, do México até as regiões leste e central dos Estados Unidos. Vive em uma grande variedade de habitats, como bosques, pradarias, florestas, campos, áreas rurais e até mesmo centros urbanos. Recebeu este nome já que é frequentemente encontrada nos milharais e celeiros.

Pantherophis guttatus guttatus – A cobra-do-milho é originária da América do Norte, do México até as regiões leste e central dos Estados Unidos. Vive em uma grande variedade de habitats, como bosques, pradarias, florestas, campos, áreas rurais e até mesmo centros urbanos. Recebeu este nome já que é frequentemente encontrada nos milharais e celeiros.

Pinterest • O catálogo de ideias do mundo todo
Search