Explore these ideas and more!

Explore related topics

RAIMUNDO COLARES<BR>““Sem titulo”<br>Nanquim e guache sobre papel.<br>Ass.dat. 1966, loc. “Rio” inf.dir. <br>39 x 32 cm.<br>Participou da exposição na SP Arte de São Paulo Abril 2016<br>na Ronie Galeria de Arte.<br>Com etiqueta da Galeria Luiz Buarque de Hollanda e Paulo Bittencourt <br>Rio de Janeiro – RJ no verso.<br>

RAIMUNDO COLARES<BR>““Sem titulo”<br>Nanquim e guache sobre papel.<br>Ass.dat. 1966, loc. “Rio” inf.dir. <br>39 x 32 cm.<br>Participou da exposição na SP Arte de São Paulo Abril 2016<br>na Ronie Galeria de Arte.<br>Com etiqueta da Galeria Luiz Buarque de Hollanda e Paulo Bittencourt <br>Rio de Janeiro – RJ no verso.<br>

Raymundo Colares, ‘"Um raio pode cair duas vezes no mesmo lugar, convide alguém para pregar um prego".’, ca. 1983

Raymundo Colares, ‘"Um raio pode cair duas vezes no mesmo lugar, convide alguém para pregar um prego".’, ca. 1983

Raymundo Colares - Enciclopédia Itaú Cultural

Raymundo Colares - Enciclopédia Itaú Cultural

Paralelamente à 29ª Bienal de São Paulo, fica em cartaz no Museu da Arte Moderna (MAM) a exposição "Raymundo Colares". O artista ganha uma retrospectiva com suas obras emblemáticas, tais como os Gibis, que terão duas réplicas para serem manuseadas pelo público, e as carrocerias de ônibus pintadas em alumínio. Em cartaz no MAM até...<br /><a class="more-link" href="https://catracalivre.com.br/geral/agenda/barato/raymundo-colares-ganha-retrospectiva-no-mam/">Continue lendo »</a>

Raymundo Colares ganha retrospectiva no MAM

Paralelamente à 29ª Bienal de São Paulo, fica em cartaz no Museu da Arte Moderna (MAM) a exposição "Raymundo Colares". O artista ganha uma retrospectiva com suas obras emblemáticas, tais como os Gibis, que terão duas réplicas para serem manuseadas pelo público, e as carrocerias de ônibus pintadas em alumínio. Em cartaz no MAM até...<br /><a class="more-link" href="https://catracalivre.com.br/geral/agenda/barato/raymundo-colares-ganha-retrospectiva-no-mam/">Continue lendo »</a>

Raymundo Colares<br>GibiPapel recortado<br>16 x 32 cm.

Raymundo Colares<br>GibiPapel recortado<br>16 x 32 cm.

Raymundo Colares – Ocorrência Em Uma Trajetória | DASartes

Raymundo Colares – Ocorrência Em Uma Trajetória | DASartes

Raymundo Colares – Ocorrência Em Uma Trajetória | DASartes

Raymundo Colares – Ocorrência Em Uma Trajetória | DASartes

Raymundo Colares – Ocorrência Em Uma Trajetória | DASartes

Raymundo Colares – Ocorrência Em Uma Trajetória | DASartes

Raymundo Colares, ‘Sem título’, 1981

Raymundo Colares, ‘Sem título’, 1981

A Relíquia: Poética do Asfalto: Antonio Manuel e Raymundo Colares

A Relíquia: Poética do Asfalto: Antonio Manuel e Raymundo Colares

Mara Narciso - Raymundo Colares visto por Felicidade Patrocínio

Mara Narciso - Raymundo Colares visto por Felicidade Patrocínio

Obra de Raymundo Colares no leilão 27 de Novembro de 2014 da Bolsa de Arte

Obra de Raymundo Colares no leilão 27 de Novembro de 2014 da Bolsa de Arte

Voltando para o desenvolvimento histórico do Neoconcretismo e da Nova figuração, chegaremos ao final daquela década com um nome na ponta da língua: Raymundo Colares. Este artista mineiro surge junto com Antonio Manuel, Cildo Meireles, Artur Barrio e Guilherme Vaz em torno das agitações de 1968

Voltando para o desenvolvimento histórico do Neoconcretismo e da Nova figuração, chegaremos ao final daquela década com um nome na ponta da língua: Raymundo Colares. Este artista mineiro surge junto com Antonio Manuel, Cildo Meireles, Artur Barrio e Guilherme Vaz em torno das agitações de 1968

Raymundo Colares, 'Gibi,' 1971, Ronie Mesquita Galeria

Raymundo Colares, 'Gibi,' 1971, Ronie Mesquita Galeria

Pinterest
Search