"Aniversário", de Dorothea Tanning Aniversário, pintada logo no início da carreira, é a sua obra de arte mais conhecida. A obra trata-se de um autorretrato e costuma ser considera um marco do 32º aniversário da artista. Entretanto, sabe-se, atualmente, que o quadro foi concluído antes dessa data e que o título foi dado por Ernst, que procurava obras de arte para a colecionadora Peggy Guggenheim. Onde ver: Philadelphia Museum of Art, Filadélfia, EUA

"Aniversário", de Dorothea Tanning Aniversário, pintada logo no início da carreira, é a sua obra de arte mais conhecida. A obra trata-se de um autorretrato e costuma ser considera um marco do 32º aniversário da artista. Entretanto, sabe-se, atualmente, que o quadro foi concluído antes dessa data e que o título foi dado por Ernst, que procurava obras de arte para a colecionadora Peggy Guggenheim. Onde ver: Philadelphia Museum of Art, Filadélfia, EUA

"No Terraço em Sèvres", de Marie Quiveron Bracquemond  Pessoas sentadas no terraço da casa da pintora, perto de Paris, com o sol da tarde enfatizando detalhes nos rostos, nas roupas e tecidos. As marcas fragmentadas de tinta, bem como o uso vibrante das cores, acentua o efeito do brilho da luz   Marie retratou, também, detalhes e refinamentos dos trajes . Onde ver: Museé du Petit Palais, Genebra, Suíça

"No Terraço em Sèvres", de Marie Quiveron Bracquemond Pessoas sentadas no terraço da casa da pintora, perto de Paris, com o sol da tarde enfatizando detalhes nos rostos, nas roupas e tecidos. As marcas fragmentadas de tinta, bem como o uso vibrante das cores, acentua o efeito do brilho da luz Marie retratou, também, detalhes e refinamentos dos trajes . Onde ver: Museé du Petit Palais, Genebra, Suíça

"Monte Sainte-Victoire", de Paul Cézanne Em suas obras, a montanha era vista sob os mais distintos pontos de observação e o contorno peculiar do maciço rochoso contrastava com a vegetação verdejante e os tons de terra dos arredores.  A perspectiva da obra foi distorcida por Cézanne, com o objetivo de atingir a relação perfeita entre os diversos elementos. A posição central do topo da montanha garante uma composição harmoniosa e equilibrada.

"Monte Sainte-Victoire", de Paul Cézanne Em suas obras, a montanha era vista sob os mais distintos pontos de observação e o contorno peculiar do maciço rochoso contrastava com a vegetação verdejante e os tons de terra dos arredores. A perspectiva da obra foi distorcida por Cézanne, com o objetivo de atingir a relação perfeita entre os diversos elementos. A posição central do topo da montanha garante uma composição harmoniosa e equilibrada.

Mesa Posta – Harmonia em Vermelho Autor: Henri Matisse Onde ver: Hermitage, St. Petersburg, Russia  Ano: 1908 Técnica: Óleo sobre tela Movimento: Fauvismo

Mesa Posta – Harmonia em Vermelho Autor: Henri Matisse Onde ver: Hermitage, St. Petersburg, Russia Ano: 1908 Técnica: Óleo sobre tela Movimento: Fauvismo

"A Cuca", de Tarsila do Amaral obre o personagem na composição, a própria Tarsila o descreveu como "um bicho esquisito, no meio do mato, com um sapo, um tatu e outro bicho inventado".   A obra, além de ser uma representação de um famoso personagem do folclore brasileiro, também pode ser considerada como um prenúncio da Antropofagia na obra da artista. Ela mesma doou a obra para o Museu de Grenoble, na França.

Tarsila do Amaral foi pintora e desenhista brasileira. O quadro "Abaporu" pintado em 1928 é sua obra mais conhecida. Junto com os escritores Oswald de Andrade e Raul Bopp, lançou o movimento "Antropofagia", que foi

"A Noite Estrelada",  Van Gogh A obra foi criada pelo artista quando ele tinha 37 anos, enquanto ele esteve em um asilo de Saint-Rémy-de-Provence Durante sua estadia no asilo,  dedicou-se a pintar sobre todas as paisagens da região de Provence,quando o artista rompe com o se poderia chamar de fase impressionista e desenvolve um estilo particular, no qual prevalecem fortes cores primárias, como o amarelo, para as quais Van Gogh atribuia significados próprios. Onde ver: Museu de Arte…

A música “Starry, starry night”, escrita por Don McLean nos anos foi uma homenagem a Vincent Van Gogh. O título da canção refere-se ao quadro “Starry Night”, mas descreve diferentes quadros do pintor. O compositor escreveu a letra após a leitura da...

La Grenouillère, de  Renoir  Os tons de verde e azul do verão à beira do rio ganham vida com os elementos dos visitantes.  O cenário idílico passa uma sensação de energia, diversão e bom humorprecisos, possuem gestos, poses e formas claramente articulados.  A cena, retratada de perto, dá destaque para as pessoas representadas na parte esquerda.

La Grenouillère, de Renoir Os tons de verde e azul do verão à beira do rio ganham vida com os elementos dos visitantes. O cenário idílico passa uma sensação de energia, diversão e bom humorprecisos, possuem gestos, poses e formas claramente articulados. A cena, retratada de perto, dá destaque para as pessoas representadas na parte esquerda.

"Baile na Roça", de Cândido Portinari Baile na Roça foi o título escolhido por Portinari para a primeira tela na qual retratou o Brasil. A obra foi reconhecida como sua primeira obra de arte e também foi a primeira tela que o artista vendeu. Na composição ele pinta uma típica festa popular de sua cidade natal no interior de São Paulo, Brodósqui. Coleção Particular, Rio de Janeiro, Brasil  Ano: 1924  Técnica: Óleo sobre tela  Tamanho: 97cm x 134cm  Movimento: Modernismo

"BAILE NA ROÇA", CÂNDIDO PORTINARI "Baile na Roça" foi o título escolhido por Portinari para a primeira tela na qual retratou o Brasil. A obra foi reconhecida como sua primeira obra de arte e também foi a primeira tela que o artista vendeu.

A Primeira Bailarina, de Edgar Degas A bailarina parece que voa e o ambiente em torno dela é inspirador e implacável ao mesmo tempo. É possível ver na obra uma espécie de negação ao seu estilo impressionista, um momento de quebra de dogmas da técnica que garantiu o sucesso de Degas. Isso fica aparente com os tons quentes. Onde ver: Museu d'Orsay, Paris, França

A obra de arte homenageada hoje pelo projeto Um Pouco de Arte para sua Vida faz parte do impressionismo e foi pintada pelo francês Edgar Degas

Mulher e Pássaro à Luz da Lua, de Joan Miró A cena do imaginário do pintor sugere uma relação harmoniosa e elementar entre o homem e a natureza. Essa relação, de acordo com a visão do artista, estava desaparecendo no contexto da civilização do seu tempo. Isso é perceptível pela figura feminina, bem como pelas aves, elementos de fundamental importância dentro da obra de Miró.

O projeto Um Pouco de Arte para sua Vida homenageia hoje o artista catalão surrealista Joan Miró e sua obra Mulher e Pássaro à Luz da Lua

Pinterest
Pesquisar